Dia sem cigarro

31/05/2011 09:15

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
None (foto: Divulgação)

O dia 31 de maio é o Dia Mundial Sem Tabaco, que completa 24 anos e incentiva a população a se mobilizar contra o hábito de fumar. O dia é marcado por campanhas e protestos.

 

Referência pública estadual em Pneumologia, o Hospital Júlia Kubitschek da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) mantém um ambulatório de abordagem ao tabagista, onde atuam vários profissionais, como psicólogos e médicos de diversas especialidades. De acordo com o gerente da pneumologia do hospital, Gediel Cordeiro Júnior, atualmente o foco é o fumante passivo, que vem sendo protegido por leis que impedem o tabagismo em ambientes fechados, por exemplo. “Dependendo da quantidade de fumaça no ambiente, os efeitos podem ser piores para quem não fuma do que para os próprios fumantes. É como se a pessoa inalasse muitos cigarros, ao mesmo tempo, e sem filtro”.

 

Gediel lembra que houve uma redução significativa de fumantes nos últimos 10 anos no Brasil. “Por causa de um conjunto de medidas e campanhas direcionadas, a incidência do tabagismo caiu pela metade, de 30 para 15%”. Ou seja, as gerações mais jovens estão fumando menos. O número de homens ainda prevalece, mas as mulheres estão em ascendência.

 

Sobre o tratamento, o pneumologista diz que é uma combinação entre suporte psicológico e medicamentos acompanhados por médicos. Entre estes medicamentos, existem três classes: os repositores de nicotina (adesivos e goma de mascar), os antidepressivos e uma droga recente antagonista dos receptores da nicotina no organismo. “Esta droga libera substâncias e hormônios, como a endorfina que, como o cigarro, causam o mesmo prazer ao fumante, ao mesmo tempo em que anula a receptação da nicotina pelo organismo. Ou seja, facilita o abandono do cigarro”.

 

Sabe-se hoje, que o tabagismo é responsável por 90% dos casos de câncer de pulmão, 30% de outros cânceres e 25% de doenças coronarianas, como infartos e acidentes vasculares cerebrais. Afinal, quando se fuma, o organismo recebe mais de 4.700 substâncias tóxicas, podendo o fumante desenvolver as DOPC’s - Doenças Pulmonares Obstrutivas Crônicas.

E os males não se restringem ao fumante, mas também às pessoas que convivem com ele. As mesmas doenças podem atingir aos chamados “fumantes passivos”, principalmente as crianças. A exposição à fumaça do cigarro ou às substâncias contidas neles pode causar mortes prematuras (síndrome da morte súbita infantil), infecções respiratórias agudas, problemas de audição, desenvolvimento de asma, entre outras que podem comprometer o desenvolvimento pulmonar dos filhos de pais fumantes, por exemplo.

 

Para marcar o Dia Mundial sem Tabaco, o Ministério da Saúde – por meio do Instituto Nacional do Câncer (INCA) – lança o Observatório da Política Nacional de Controle do Tabaco. Na página, o internauta poderá encontrar as mais recentes informações sobre o controle do tabagismo no Brasil, bem como ser direcionado aos sites dos órgãos que integram a Comissão Nacional para Implementação da Convenção-Quadro (Conicq). O acesso pode ser feito em www.inca.gov.br/observatoriotabaco.

 

Além disso, o tratamento para pessoas que querem parar de fumar – disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) – terá acréscimo de 63% em seu orçamento. Em 2011, o valor investido deve chegar a R$ 45,6 milhões, contra os R$ 28 milhões aplicados em 2010.

Últimas notícias

Comentários