Deputados apoiam transformação do Cefet em universidade

13/06/2011 19:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
None (foto: Divulgação)

A Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais manifestou apoio ao projeto de transformação do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) em universidade. Os cinco membros efetivos da comissão visitaram o Campus 1 da instituição de ensino, no bairro Nova Suíça, em Belo Horizonte.

 

Os deputados estaduais Bosco, presidente da comissão, Dalmo Ribeiro Silva, autor do requerimento que originou a visita, Paulo Lamac, Neilando Pimenta e Carlin Moura reuniram-se com o diretor-geral do CEFET-MG, Flávio Santos. Durante o encontro, o dirigente da instituição apresentou aos parlamentares os projetos em andamento na instituição, bem como um histórico do Cefet-MG e as razões que levaram ao pleito de transformação em universidade tecnológica.

 

O projeto prevê a transformação do centro na Universidade Tecnológica Federal de Minas Gerais, nos moldes do que ocorreu com o Cefet do Paraná, em 2005. De acordo com o diretor-geral, o Cefet-MG cumpre todos os requisitos para se tornar uma instituição de ensino superior. Ele destacou a tradição da escola na formação de mão de obra, a estrutura física e a existência de 17 cursos de graduação e sete programas de mestrado. Afirmou, ainda, que cerca de 80% dos professores têm mestrado ou doutorado.

 

O diretor Flávio Santos declarou que a transformação em universidade resultaria em maior acesso a recursos federais e na ampliação da oferta de vagas nos ensinos profissional (de nível médio) e superior. "O projeto implica ampliar não só a autonomia do Cefet, mas também suas possibilidades de atuação. Para Belo Horizonte, talvez mude pouco, mas para o interior do Estado o impacto vai ser muito grande", disse. O Cefet-MG tem campi em Belo Horizonte, Leopoldina, Araxá, Divinópolis, Timóteo, Varginha, Nepomuceno e Curvelo. Também oferece cursos em Contagem e Itabirito, em parceria com as prefeituras desses municípios.

 

O diretor-geral afirmou que o Ministério da Educação (MEC) é contra o projeto do Cefet-MG. Para ele, no entanto, a demanda é legítima e o apoio da ALMG pode ajudar a mudar a posição do ministério. Santos disse que, após a criação da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, o caminho natural seria fazer o mesmo com os Cefets de Minas e Rio de Janeiro, que estavam, segundo ele, no mesmo patamar da instituição paranaense. Ao contrário, o MEC preferiu investir na transformação de escolas técnicas em institutos federais de educação tecnológica (ifets), voltados para a oferta de cursos profissionalizantes.

Últimas notícias

Comentários