Atrasado, mas melhorado e com preço quase igual

por Fábio Doyle 28/11/2011 08:28

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
None (foto: Divulgação)

CAMPINAS* – Com atraso de quase seis meses, em decorrência do último tsunami que atingiu o Japão, chega ao mercado brasileiro em meados de janeiro, a nona geração e linha 2012 do Honda Civic. O sedã está com novo design, recebeu alterações marcantes na dianteira e na traseira, passou por significativo avanço na oferta de tecnologias voltadas para conforto, segurança e economia de combustível e, a melhor notícia, terá preço quase igual à da oitava geração.

 

Outra boa novidade é que o problema do espaço limitado do porta-malas foi resolvido. Passou de 340 para 449 litros. É que agora traz o estepe temporário de menor dimensão, recentemente autorizado pela legislação brasileira. É uma roda de 15 polegadas com pneu chinês da marca Kenda. Segundo a montadora, que até o fechamento desta edição não havia anunciado o preço sugerido oficial, o Civic 2012 deverá custar 1% a mais em relação à geração que sai de linha. O Civic, que já dominou o segmento de sedãs médios compactos no Brasil com 67% do mercado, participa hoje com 19%.

 

 

 

O novo Honda Civic chega com garantia de três anos e opção de novo câmbio automático de cinco velocidades. O câmbio manual continua em oferta como item de série.

 

Para o mercado brasileiro, a Honda conseguiu ampliar a capacidade do tanque de combustível, que é de 50 litros nos demais países onde é produzido e vendido, para 57 litros. A medida faz sentido tendo em vista a característica flex do motor para o mercado brasileiro, já que o consumo do etanol é 20% mais alto do que a gasolina.

 

 

 

Entre melhorias de design merece menção a coluna A (que liga o pára-brisa aos vidros laterais) que ficou mais fina, aumentando a visibilidade para o motorista. O novo Civic chega também com sistema para acoplar a cadeirinha para crianças, item que passa a ser oferecido na linha de acessórios da marca japonesa.

 

As evoluções tecnológicas introduzidas na nova geração do Civic resultam também em redução do ruído de rodagem, informou Alfredo Guedes, engenheiro do departamento de relações institucionais da Honda do Brasil. Guedes ressaltou ainda a nova direção com sistema EPS, que combina o sistema elétrico com o hidráulico e que, além de aumentar o conforto, é também um item de segurança, uma vez que “conversa” com outros sistemas de segurança como os sistemas de controle de tração e frenagem, corrigindo eventuais erros do piloto em situações emergenciais.

 

 

 

Com alterações de estilo que prometem agradar e lembram outros sedans médios – a traseira, por exemplo, nos transporta para a do Mercedes-Benz Classe C, o novo Civic manteve a mesma largura do antigo, mas ficou um pouco (16 cm) mais comprido e a distância entre eixos foi reduzida em três centímetros. Isso sem perder espaço interno, o que é verdade. Nossa reportagem conferiu. A distância do pedal do freio até o centro do encosto traseiro é de 195 cm, tanto no novo Civic, como na geração que sai de linha.

 

O carro evoluiu também em soluções de segurança em conforto. O sistema dos vidros elétricos são agora “one touch” e continuam com a solução antiesmagamento, o ar- condicionado é digital em todas as versões, mas airbags laterais e teto solar são itens de série apenas na versão EXS.

 

 

* O jornalista viajou a convite da Honda do Brasil

Últimas notícias

Comentários