Poços de Caldas movida a gás

Em maio a cidade do sul de Minas terá o primeiro condomínio a receber gás natural do sistema de canalização da Gasmig que inclui Belo Horizonte e Nova Lima

por Agência Minas 30/04/2013 15:35

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Mônica Daniel/Reprodução
(foto: Mônica Daniel/Reprodução)
O condomínio de 18 andares da rua Santa Catarina, no centro de Poços  de Caldas, será o primeiro prédio residencial da cidade a ser abastecido com gás natural. Os moradores dos 41 apartamentos vão poder contar com o combustível no fogão e no aquecimento de água na cozinha e nos banheiros. O edifício será inaugurado em maio deste ano e vai ao encontro da nova política da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) de expandir a utilização residencial do combustível.

O engenheiro Guilherme de Paiva Posso, responsável pela construção do prédio, explicou que os principais benefícios do gás natural são praticidade, segurança e conforto. “Como o gás é canalizado, não há necessidade de estoque de cilindros no prédio”, afirmou. O engenheiro disse, ainda, que a opção pelo gás natural não implica aumento do custo da obra. Em Minas, além de Poços de Caldas, Belo Horizonte e Nova Lima, na Região Metropolitana da capital, já possuem residências e condomínios com gás natural. O combustível também está sendo utilizado no Minas Tênis Clube.

Economia também é vantagem

De acordo com o gerente de comercialização da Gasmig, Hilton Correa Vale,  a  economia para uso residencial do gás natural varia entre  10% e 30%, dependendo do valor cobrado pelas distribuidoras de gás liquefeito de petróleo, o combustível concorrente. Hilton Vale explicou que, quanto maior o volume consumido, menor será a tarifa média por metro cúbico.

O consumo de gás natural para a cocção (fogão) é estimado em 10 m³/mês por residência. Se o usuário consome 10 m³/mês/UDA, por exemplo, a tarifa média será de R$ 3,04 por metro cúbico. Se o consumo for de 25,50 m³/mês/UDA, a tarifa média reduz para R$ 2,77 por metro cúbico.

Mas para o gerente da Gasmig, a maior vantagem do uso do gás natural residencial é a tranquilidade que ele proporciona, já que o abastecimento é contínuo e está sempre disponível. No caso das indústrias, o benefício é ainda maior, pois ele substitui  o uso de fontes poluentes de energia como carvão e óleos combustível e diesel.

Gás natural em Poços   

Além do gasoduto, inaugurado em 2010 para atender às indústrias do município, Poços de Caldas ganhou, em 2012, mais oito quilômetros de tubulação subterrânea para atender estabelecimentos comerciais e residências. São mais de 30 hotéis, restaurantes e lavanderias que vão contar com o combustível ainda este ano, quando será concluída a etapa final de instalação das redes internas dos clientes.

Atualmente a cidade possui 75 clientes e o tradicional Palace Hotel está entre eles. A previsão para Poços é ampliar para mais 28 usuários até o julho. Um deles, segundo o gerente da Gasmig, será um posto de gás natural veicular, o primeiro da cidade.  De acordo com Hilton, quando utilizado em veículos, o gás pode proporcionar economia de cerca de 50% em relação à gasolina e ao etanol. O município de Andradas, também no Sul do estado, tem cinco clientes, entre eles um posto de gás natural veicular.

Gasmig/Divulgação
Obras de construção do gasoduto no sul de Minas, finalizadas em 2010 (foto: Gasmig/Divulgação)
Gasoduto de 100 km


O  gasoduto do Sul de Minas possui cerca de 100 quilômetros de extensão e a previsão da Gasmig é  expandir o fornecimento de gás natural para Pouso Alegre até julho deste ano, por meio de um sistema chamado de gasoduto virtual,  uma tecnologia que reduz o volume do gás para transportá-lo em carretas. De acordo com Hilton Vale, o combustível é comprimido em alta pressão ou liquefeito, o que permite que ele seja transportado por caminhões até a base de descompressão ou regaseificação da empresa, que está sendo construída na cidade.

O primeiro contrato de fornecimento de gás natural para Pouso Alegre já foi assinado entre a Gasmig e a XCMG. A empresa, que atua na fabricação de máquinas pesadas, deverá consumir até 256 mil metros cúbicos por mês. Outras indústrias instaladas em Pouso Alegre, como o Laboratório Sanobiol e a Usiparts, já estão negociando com a Gasmig o fornecimento do combustível.  

Em Minas, 30 municípios já recebem o gás natural, incluindo cidades do Vale do Aço, onde há maior concentração de indústrias, como Ipatinga. Este ano, o combustível chega também a Governador Valadares e Itabira. De acordo com Hilton Vale, a empresa está trabalhando para atender toda a demanda de gás geradora de emprego no estado.

“A ampliação da utilização do gás natural é uma tendência mundial, já que, além de mais econômico e menos poluente, há reservas abundantes do combustível em todo o planeta”, afirma o gerente da Gasmig. “O gás natural é o combustível do século XXI, por oferecer sustentabilidade ambiental, social e econômica”, concluiu.

Últimas notícias

Comentários