Luz no fim do túnel para o aeroporto da Pampulha

por Agência Minas 02/10/2013 12:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press
Moreira Franco recebe das mãos de Anastasia plano para transformar o aeroporto da Pampulha em referência na aviação regional (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Especialistas afirmam que para o Brasil superar entraves que impedem o desenvolvimento é preciso se investir pesado em infraestrutura. Dentro dessa visão, o trabalho de incremento da infraestrutura aeroportuária de Belo Horizonte deu um passo importante para contribuir com o desenvolvimento da capital mineira e da região metropolitana. Isso porque o governador Antonio Anastasia entregou ao ministro chefe da Secretaria da Aviação Civil, Moreira Franco, o plano de desenvolvimento que deverá nortear os rumos para o Aeroporto Carlos Drummond de Andrade (Aeroporto da Pampulha) para os próximos anos.

A proposta é coerente com o papel destacado para o terminal aeroportuário, dentro do planejamento econômico de longo prazo da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Este planejamento indica a consolidação do Aeroporto da Pampulha como referência da aviação regional no Estado e em um novo polo da aviação executiva. Para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves (AITN), em Confins, será reservado o papel preponderante nas operações de voos interestaduais, internacionais e operações de carga, o que evitaria concorrência entre ambos e realçando a sua complementaridade.

"Sempre digo que a questão do aeroporto para nós mineiros é muito relevante na medida em que Minas Gerais, por não ser servida por porto marítimo, precisa muito dos aeroportos para ter um desenvolvimento econômico cada vez mais integrado e moderno. Esse estudo foi, agora, entregue ao ministro Moreira Franco e à Infraero, demonstrando o papel complementar da Pampulha, exatamente como aeroporto destinado à aviação regional e à aviação executiva", ressaltou o governador.

A estratégia delineada é a preparação do Aeroporto da Pampulha para suportar o crescimento da aviação regional e possibilitar maior integração entre as diversas regiões do Estado e a capital, a partir da conexão com mais de 30 cidades do interior e de outras unidades da Federação.

O ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, destacou que o plano de desenvolvimento apresentado colocará a Pampulha como referência na aviação regional e executiva. "Hoje, temos a segunda frota do mundo, e queremos e precisamos ter aqui uma referência de inovação, de transformação, porque o compromisso do governador Anastasia é fazer do Estado de Minas Gerais um polo capaz de liderar o processo de aumento da competitividade, da produtividade no país pela inovação, para que possamos ter ali um aeroporto que possa sinalizar aos outros, que estão sendo criados no Brasil para a aviação executiva, um grande apoio, um grande hub para a aviação regional", afirmou o ministro.

Outro objetivo é ampliar o potencial da Pampulha para tornar-se um novo indutor da economia da capital mineira e permitir a atração de grandes empresas, que dependem da aviação executiva. Além disso, o Aeroporto de Belo Horizonte poderá abrigar, em maior escala, empresas do segmento de manutenção para aeronaves de médio e pequeno portes podendo gerar cerca de três mil empregos diretos de alta capacitação.

Realização do estudo

Os estudos foram realizados a partir de um Acordo de Cooperação Técnica, assinado em dezembro de 2011, entre o Governo de Minas, a Prefeitura de Belo Horizonte e a Infraero para viabilizar o Plano Diretor do Aeroporto da Pampulha. Coube ao Estado de Minas Gerais prover os estudos, contratar e financiá-los. Os trabalhos foram iniciados em março deste ano, com a projeção da evolução do tráfego, fornecida pela Infraero, até 2029.

Para permitir o desenvolvimento da estrutura do aeroporto, de maneira que seja capaz de suportar o crescimento da demanda por estes dois segmentos da aviação, foram consideradas diversas alternativas, levando-se em conta a área hoje ocupada pelo Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), que será transferido para Lagoa Santa em 2015.

Da mesma forma, vários aspectos de disponibilidade de uso do aeroporto foram devidamente inspecionados com as recomendações de intervenções pontuais e em bases sustentáveis. A proposta da nova capacidade operacional leva em conta um novo mix de aeronaves adaptadas à realidade do sítio, bem como o desenho de sistema viário funcional e o seu impacto na mobilidade de veículos que se dirigirão ao entorno do aeroporto.

Também participaram da reunião para a entrega do plano para desenvolvimento do Aeroporto da Pampulha o presidente da Infraero, Gustavo do Vale; a secretária de Estado de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck; o secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus Filho; o subsecretário de Investimentos Estratégicos, Luiz Antônio Athayde; e o secretário Municipal de Desenvolvimento de Belo Horizonte, Custódio Mattos.

Últimas notícias

Comentários