Reserva Veredas do Acari registra animais raros

Levantamento iniciado este ano na área de preservação ambiental, que fica no norte de Minas, já conseguiu catalogar espécies raras como o lobo-guará preto

por Agência Minas 07/10/2013 11:46

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Redsva/Biotropicos/Reprodução
O lobo-guará é uma das espécies em risco de extinção presentes na reserva (foto: Redsva/Biotropicos/Reprodução)
O Instituto Estadual de Florestas (IEF), em parceria com o Instituto Biotrópicos, está realizando o levantamento das espécies da fauna que vivem na Reserva Estadual de Desenvolvimento Sustentável Veredas do Acari, localizada nas cidades de Chapada Gaúcha e Urucuia, no Norte de Minas. Por meio de armadilhas fotográficas, já foi possível registrar a presença de animais ameaçados de extinção no Estado, entre eles o lobo guará preto, espécime que não era vista na região há mais de 20 anos e é desconhecido na literatura científica.

De acordo com o gerente da unidade de conservação, Cícero de Sá Barros, o trabalho teve início em maio deste ano, quando foram instaladas, em pontos estratégicos da reserva, as câmeras cedidas pelo Instituto Biotrópicos. “A maior parte das fotos foram feitas à noite. São registros importantes que nos deram a dimensão da riqueza da fauna que vive nesta região. Encontramos aqui não só o lobo guará preto, como o lobo guará tradicional, anta, jaguatirica, tamanduá bandeira, gato-do-mato e os veados campeiro e catingueiro. Esses animais fazem parte da lista dos que estão ameaçados de extinção em Minas e ficamos surpresos de encontrá-los em uma unidade de uso sustentável”, destacou.

Ainda segundo Barros, o lobo guará preto é uma espécie rara que não era vista há muitos anos na região. “De acordo com relatos da comunidade, essa espécie já foi vista aqui, mas estava desaparecida. Esse registro nos leva a crer que pode existir não só um indivíduo, mas uma família de lobos guará pretos que vêm sobrevivendo ao longo dos anos”, explicou Barros. A partir dos registros, o gerente pretende identificar as espécies e catalogá-las. “Tem sido fácil registrar as espécies e estamos surpresos com o que temos encontrado”, disse o gerente, que espera registrar, também, uma onça preta já vista na reserva.

Para o chefe do escritório regional Alto Médio São Francisco, do IEF, Mário Lúcio dos Santos, os resultados alcançados na parceria com o Biotrópicos demonstram o grande potencial de trabalhos de pesquisa a serem realizados nas unidades de conservação localizadas naquela região. “Acredito que esses estudos trarão um novo olhar para essas unidades, uma vez que o potencial turístico delas é baixo quando comparado ao elevado valor de conservação”, ressaltou Santos.

Sustentabilidade

A Reserva Veredas do Acari possui cerca de 60 mil hectares e foi criada em 2003 para proteger o rico sistema de veredas da região. Localizada no cerrado, a reserva também possui rica fauna e flora, com espécies típicas do bioma. Na reserva é permitida a visitação pública, desde que compatível com os interesses locais e de acordo com o disposto no plano de manejo da área. A pesquisa científica é permitida, desde que voltada à conservação da natureza, à melhor relação das populações residentes com seu meio e à educação ambiental.

É admitida a exploração de componentes dos ecossistemas naturais em regime de manejo sustentável e a substituição da cobertura vegetal por espécies cultiváveis, desde que sujeitas ao zoneamento, às limitações legais e ao plano de manejo da área. Deve ser sempre considerado o equilíbrio dinâmico entre o tamanho da população e a conservação.

Últimas notícias

Comentários