Comissão da Câmara suspende autorização de casamento civil gay

por Janary Júnior - Agência Câmara 20/11/2013 17:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ovídio Carvalho/ON/D.A Press
Casais como os paraibanos Edvaldo Fernandes Farias e José Virgílio Filho, não poderiam mais oficializar o casamento (foto: Ovídio Carvalho/ON/D.A Press)
A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 871/13, do deputado Arolde de Oliveira (PSD-RJ), que suspende a resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que abriu espaço para os cartórios aceitarem a celebração de casamentos civis de casais do mesmo sexo e a conversão de união estável em casamento entre pessoas de mesmo sexo.

A rejeição foi pedida pelo relator, deputado Pastor Eurico (PSB-PE), que, assim como o autor do projeto, defendeu que “a resolução do CNJ extrapolou as competências do órgão e avançou sobre as prerrogativas do poder legislativo”.

A Resolução 175/13 determina que cartórios brasileiros não podem recusar a “habilitação, celebração de casamento civil ou de conversão de união estável em casamento entre pessoas de mesmo sexo”. A recusa implicaria na imediata comunicação ao respectivo juiz corregedor para as providências cabíveis.

O projeto de suspensão da resolução ainda será analisado na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da casa. Se aprovado, segue para exame do plenário da Câmara.

Direitos

Na mesma reunião, a comissão rejeitou o Projeto de Lei 6297/05, do ex-deputado Maurício Rands (PE), que permite a inclusão de companheiros gays como dependentes, para fins previdenciários. Os deputados acompanharam o parecer do relator, deputado Pastor Eurico, que pediu a rejeição da proposta.

No extenso parecer apresentado contra o projeto, o deputado defende que “haja observância das razões históricas e fáticas que fazem a família ser base da sociedade e digna de usufruir proteção especial do estado”.

Últimas notícias

Comentários