Zoológico tem novo morador

Fundação Zoo-Botânica de BH comemora o nascimento de filhote de zebra, fato que não ocorria desde a década de 1980

por Da redação com Ascom/PBH 09/12/2013 18:33

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ascom PBH/Divulgação
O filhote que nasceu no zoo de BH é da espécie mais abundante nas savanas africanas (foto: Ascom PBH/Divulgação)
Uma pausa para descansar, outra para se alimentar e explorar o recinto junto da mãe. Essa tem sido a rotina do mais novo morador da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte, um filhote de zebra (Equus burchelli) macho, nascido na madrugada de sábado, dia 30 de novembro, e que já pode ser observado pelos visitantes do zoológico.

O filhote pesa aproximadamente 35 quilos e, nesses primeiros dias de vida, tem recebido atenção especial dos tratadores, biólogos, veterinários e principalmente de sua mãe, Mila, e de seu pai, Zuk, que chegaram ao Zoo da capital em 2006. Segundo a bióloga Valéria Pereira, chefe da seção de mamíferos do zoológico, essa espécie, conhecida como zebra de grant ou zebra das planícies, encontra-se em baixo risco de extinção, mas por causa da caça e da perda de habitat natural para criações de gado e outros animais domésticos, a população selvagem vem sendo reduzida. E, no Jardim Zoológico de Belo Horizonte, fazia tempo que não se registrava um nascimento. "Os últimos nascimentos de zebra no zoológico da capital ocorreram nos anos 80. Agora, o casal Mila e Zuk nos presenteou com esse filhote, que vem enriquecer o nosso plantel”, comentou a bióloga.

Para a enfermeira Cíntia Alves, visitar o zoológico com a filha e encontrar o filhote de zebra foi uma bela surpresa. "Achei interessante, pois ele já nasce grande e fica sempre próximo da mãe. Suas cores mais parecem uma pintura", disse.

De acordo com o presidente da Fundação Zoo-Botânica, Jorge Espeschit, a reprodução de animais silvestres em cativeiro só é bem sucedida quando as condições em que são mantidos são boas, em ambientes semelhantes aos do habitat natural. “O trabalho realizado em nosso plantel é voltado para o bem-estar dos animais, garantindo a preservação das espécies. Assim, conseguimos bons resultados, como, por exemplo, a reprodução, neste ano, dos hipopótamos, das antas e agora das zebras”, explicou.

Características

As zebras são mamíferos da família Equidae, a mesma dos cavalos. Ocorrem em uma variedade de habitats, incluindo savanas, bosques mais abertos e áreas de gramíneas, sempre próximo à água, do sul da Etiópia até o norte da África do Sul.  A dieta das zebras consiste em ervas, gramíneas, ramos e folhas. O período de gestação é, em média, de 12 meses, nascendo um único filhote que pode pesar até 35 kg e mamar até pouco mais de 1 ano de idade. Mas, desde a primeira semana de vida, começa a alimentar-se de ervas.

Na natureza, as zebras vivem em grupos compostos por um macho adulto dominante (garanhão) e, em média, sete fêmeas reprodutivas junto com seus filhotes. As fêmeas jovens, sexualmente maduras, deixam o grupo para se juntar a um harém vizinho, e os machos jovens se afastam em torno dos 4anos de idade, para se juntar a um grupo de solteiros e formar o próprio harém.

Últimas notícias

Comentários