Minas deve ter um caminho de peregrinação parecido com o de Santiago de Compostela

Até abril deste ano o Caminho Religioso da Estrada Real receberá 26 placas interpretativas e 16 paraciclos para orientação dos turistas

por Agência Minas 17/01/2014 15:51

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
José Carlos Paiva/Imprensa MG/Divulgação
(foto: José Carlos Paiva/Imprensa MG/Divulgação)
Em janeiro começaram a ser instaladas as placas de sinalização do Caminho Religioso da Estrada Real (Crer). Na primeira etapa, que vai até o dia 23 de janeiro, serão instaladas 26 placas interpretativas e 16 paraciclos, contemplando os municípios de Sabará, Caeté, Barão de Cocais, Santa Bárbara, Catas Altas, Mariana, Ouro Preto, Itabirito, Rio Acima, Nova Lima e Raposos.

Em Sabará, a placa foi instalada na praça Santa Rita, no centro histórico do município. Entre os atrativos turísticos da cidade, destaque para um dos mais notáveis acervos de igrejas setecentistas de Minas. A de Nossa Senhora do Ó, de 1717, é uma das mais representativas do barroco mineiro. O Museu do Ouro reserva objetos associados ao período de extração do ouro em Minas Gerais durante o século XVIII. Conhecida como a "terra da jabuticaba" e detentora da maior produção da fruta no estado, a cidade é palco todos os anos do famoso Festival da Jabuticaba. Em 2007, o evento foi registrado como patrimônio imaterial do município.

Para a professora Glaura Sepúlveda, moradora da cidade, “o Crer é uma iniciativa muito interessante, visto que resgata a questão da religiosidade, fortemente enraizada em Minas”. Já para a artesã Nayla Starling, membro da Associação dos Artesãos da Praça Santa Rita de Sabará, “o caminho valoriza o nosso trabalho, tornando-o mais conhecido e divulgado. Temos um artesanato típico, como a palma barroca, a renda turca de bicos, os doces, geleias e demais derivados de jabuticaba. Espero que dê certo e que muita gente passe por aqui”.

De acordo com Graziele Vilela, superintendente de estruturas do turismo do governo de Minas, “a instalação das placas representa a materialização de um projeto que vem sendo desenvolvido desde 2011. O trajeto será demarcado para que o peregrino seja capaz de se orientar através da sinalização distribuída ao longo de todo o percurso”. Inspirado no consagrado Caminho de Santiago de Compostela, os turistas poderão percorrê-lo a pé, de bicicleta ou a cavalo. O caminho contará também com pontos de apoio para descanso ao longo do percurso.

O Caminho Religioso da Estrada Real abrange 86 municípios, sendo 37 localidades na rota principal e 49 localidades na área de influência do projeto, possuindo aproximadamente 1.033 quilômetros.

Últimas notícias

Comentários