Para a ANS, usuário tem importante papel na fiscalização dos planos de saúde

por Paula Laboissière - Agência Brasil 11/02/2014 11:28

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
ANS/Divulgação
(foto: ANS/Divulgação)
O diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), André Longo, acha que o consumidor brasileiro é o principal protagonista quando se fala de monitoramento das operadoras de planos de saúde pelo órgão federal.

Atualmente, 150 planos de 41 operadoras estão com a comercialização suspensa em razão de problemas assistenciais apontados pelos consumidores e averiguados pela ANS. A suspensão beneficia 4,1 milhões de pessoas que já contrataram esses planos e deverão ter seus problemas assistenciais saneados.

"O consumidor deve exercer seu direito e procurar a agência se os planos de saúde não cumprirem suas obrigações", destaca o diretor. As principais reclamações dos usuários, segundo Longo, tratam do descumprimento dos prazos para a cobertura de procedimentos como realização de consultas, exames e cirurgias.

O diretor-presidente da ANS explica que a agência já é três vezes mais demandada em assuntos relacionados a planos de saúde do que os órgãos de defesa do consumidor. "De cada cinco queixas recebidas pela agência, quatro são encaminhadas às operadoras", diz.

Sobre o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde – cobertura mínima obrigatória –, que entrou em vigor em janeiro, Longo lembra que os beneficiários de planos de saúde passaram a ter direito a 50 novos exames, consultas e cirurgias; a 37 medicamentos orais para tratamento domiciliar de câncer; e a coberturas específicas para 29 doenças genéticas.

“Vários desses procedimentos vêm trazer mais qualidade de vida ao beneficiário”, fala, ao destacar o avanço no acesso a medicação oral para pacientes com câncer. Os remédios podem ser utilizados em casa, sem a necessidade de deslocamento para uma unidade de saúde. “É uma medicação imprescindível para esse tratamento”, completa.

Últimas notícias

Comentários