Cidades mineiras recebem pluviômetros

Ao todo serão entregues 107 equipamentos em todas as regiões do Brasil, sendo 18 apenas para municípios de Minas Gerais. Os aparelhos ajudam a medir a quantidade de chuva e prevenir tragédias

por Da redação com Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior 25/02/2014 14:28

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Davi Fernandes/Ascom MCTI/Divulgação
Os pluviômetros são instalados em pontos estratégicos, para prevenção de tragédias (foto: Davi Fernandes/Ascom MCTI/Divulgação)
O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Cemaden) vai entregar, até março, 107 pluviômetros semiautomáticos a municípios de todas as regiões do Brasil. Só para no estado de Minas Gerais são cinco cidades que vão receber 18 equipamentos: três em Ibirité, um em Itabira, um em Novo Cruzeiro, dez em Ouro Preto e três em Teófilo Otoni. Até o momento, 70 aparelhos fornecidos pelo Cemaden estão em funcionamento em 23 municípios mineiros.

Os pluviômetros medem a quantidade de chuvas e são instalados em áreas de risco, sujeitas a inundações, enxurradas e/ou deslizamentos de terra.  A iniciativa de entrega dos aparelhos faz parte do projeto Pluviômetros nas Comunidades, do Cemaden, anunciado em dezembro de 2012, quando o órgão federal adquiriu 1100 equipamentos, para serem distribuídos por todo o país.

 “As comunidades precisam estar preparadas para conviver com o risco de desastres naturais”, explica Silvia Saito, pesquisadora do Cemaden. “O pluviômetro pode ser um importante aliado para que os moradores em áreas de risco possam monitorar as chuvas e aumentar sua capacidade de resposta.”

Esses aparelhos são chamados de semiautomáticos porque devem ser operados por grupos locais especialmente treinados por equipes do Cemaden e da Defesa Civil. Assim, agentes comunitários indicados pela prefeitura recebem orientações de como proceder em situações de alerta.

Últimas notícias

Comentários