Uso excessivo de WhatsApp pode gerar lesão

Isso é o que indica a pesquisa de uma médica espanhola, que analisou pacientes que chegam a passar seis horas usando a mão para digitar no celular

por Bruno Capelas - Estadão Conteúdo 04/04/2014 11:11

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
FreeDigitalPhotos.net
(foto: FreeDigitalPhotos.net)
Você é daqueles que passa o dia inteiro trocando mensagens no WhatsApp, twittando ou curtindo posts no Facebook com o smartphone? Cuidado: você pode acabar lesionando seu corpo com o que uma médica espanhola identificou em uma paciente como "WhatsAppite" – ou uma lesão por esforço repetitivo no pulso causada pela frequência excessiva com que se digita com as mãos.

Publicado no jornal médico britânico The Lancet, o caso da médica espanhola Inés Fernandez-Guerrero fala sobre uma paciente que não tinha nenhum histórico de trauma nas mãos, mas passou seis horas de seu dia de Natal em 2013 respondendo a mensagens que havia recebido no WhatsApp. "Ela fazia movimentos contínuos com as mãos e os polegares para enviar as mensagens", diz a doutora em seu relatório médico.

A paciente, uma enfermeira grávida de 27 semanas, foi diagnosticada com "WhatsAppite", e o tratamento incluiu abstinência do uso de smartphones e a aplicação de anti-inflamatórios. O caso foi comparado com a "Nintendinite", tipo de lesão bastante comum entre crianças nos anos 90 graças ao uso extremo do polegar nos controles de videogame da Nintendo, especialmente em jogos identificados como "esmagadores de botão" (button smashers) como clássicos de luta Street Fighter II e Mortal Kombat.

Para a doutora Fernandez-Guerrero, é preciso ficar atento a esse tipo de lesão, "que pode se tornar uma doença cada vez mais comum" devido ao uso crescente de smartphones pelas pessoas. Portanto, atenção: ficou muito tempo no WhatsApp fofocando com seus amigos? Vá fazer outra coisa com suas mãos. É pro seu bem.

Últimas notícias

Comentários