Hábitos alimentares de brasileiros são parecidos com os de franceses, diz doutorando

Utilizando a rede social Foursquare, um estudante da UFMG realizou uma coleta de dados que levou ao mapeamento da tendência alimentar em diversos países, e o mais curioso, mostra similaridades entre nações bem distantes

por João Paulo Martins 26/04/2014 10:26

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
No Foursquare, o usuário pode mostrar em quais estabelecimentos ele já esteve, dando o "check-in" neles. É como se marcasse no mapa cada lugar de interesse (foto: Divulgação)
Os brasileiros comem fast food tanto quanto os americanos e os chilenos. Os belo-horizontinos saem para beber tanto quanto os parisienses e os moradores de Las Vegas. Essas afirmações foram comprovadas por uma pesquisa feita por Thiago Silva, doutorando em Ciência da Computação da UFMG, orientado pelos professores Antônio Loureiro, Jussara Almeida e Pedro Vaz de Melo. Ele não foi às ruas desses países questionar os habitantes, e sim, criou uma ferramenta que coletou dados da rede social Foursquare, em que o usuário faz "check-in" (dá entrada, em tradução livre) em restaurantes, bares e lanchonetes.

Para se ter uma ideia, uma pesquisa parecida com essa foi feita pelo World Values Survey (WVS) entre os anos de 1981 e 2008, e ouviu mais de 250 mil pessoas de 87 países. Thiago, através do programa de coleta de dados, gastou apenas uma semana para agrupar 280 mil "check-ins". E o mais impressionante: o resultado do trabalho do doutorando da UFMG, com os hábitos alimentares de diferentes povos, foi o mesmo da pesquisa da WVS. "Eles demoraram muito tempo para fazer o estudo, além de gastar muito dinheiro para ouvir pessoas do mundo todo. Os dados que coletamos podem se tornar uma ferramenta para os sociológos", diz Thiago Silva.

Além de ter encontrado uma ótima opção de estudo para os sociólogos, o doutorando acabou chegando a análises bem curiosas. "A distancia geográfica não é necessariamente um fator importante para se ter uma paridade de hábitos alimentares. A França e a Inglaterra, por exemplo, que são próximos, nos fariam achar que possuem os mesmos hábitos, mas, através da pesquisa, descobrimos o oposto", explica. Os franceses, na verdade, possuem a mesma rotina de sair para beber que os brasileiros. Isso também foi visto quando se comparou Paris a Belo Horizonte. "O Brasil, que tem um oceano inteiro de distância para a França, está mais próximo dela, através do hábito alimentar da população pesquisada".

Após seu trabalho ter sido divulgado na MIT Technology Review, revista do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, vários pesquisadores já o procuraram para realiação de parcerias científicas. "Essa é a ideia mesmo, envolver pessoas de diversas áreas. A fusão de conhecimento pode levar à inovação", conclui Thiago Silva.

Últimas notícias

Comentários