Você já teve a sensação de receber uma ligação no celular e não era nada?

Pois é, um psicólogo americano chama essa falsa sensação de "ringxiety", ou ansiedade pelo toque do telefone. Especialista brasileira, por outro lado, não acredita nessa teoria

por João Paulo Martins 19/05/2014 17:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Estudo americano associa dependência do celular à falsa sensação de chamada quando ele está no bolso (foto: Pixabay)
Não sei se vale para as mulheres – que usam bolsa –, mas muitos homens que carregam seus celulares nos bolsos podem ter passado por esta situação: sentem uma vibração de chamada ou mensagem vindo do aparelho, mas ao consultá-lo, não há nenhum registro. Mistério? Não para o psicólogo David Laramie, que em sua tese de doutorado na School of Professional Psychology, em Los Angeles, Califórnia, analisou o tema e o classificou como "ringxiety" (ansiedade pelo toque, na tradução livre).

Segundo ele, sons externos do ambiente podem funcionar como gatilho para que a sensação de vibração ocorra no corpo da pessoa, mesmo quando o aparelho está no modo silencioso. Um comercial na TV, uma música no rádio, ou mesmo o som de uma torneira podem induzir o cérebro a sentir a vibração no bolso onde se encontra o celular. O especialista compara essa falsa sensação à de uma pessoa que perde um membro, como uma mão, e continua sentindo cócegas nela.

David Laramie foi além, e culpou a ansiedade como responsável por essa reação inconsciente do corpo. Já que vivemos cercados por tecnologia, estaríamos nos tornando "dependentes" dela, e começando a ter comportamentos pré-determinados.

"Está na moda inventar 'síndromes'", diz Heloisa Lasmar, professora do curso de Psicologia da PUC Minas. Para ela, essas teorias surgem, muitas vezes, ligadas a demandas do mercado de medicamentos: "Se você está aguardando algo, é natural ficar ansioso. Mas não significa que tenha adquirido uma patologia. Acho que tem mais a ver com o mercado, que adora criar doenças e, claro, seus remédios".

Para a professora, é natural que passemos a ter hábitos, inclusive no uso de celulares. Ela diz ainda que nada no comportamento natural de um usuário desse tipo de aparelho, mesmo uma sensação falsa de chamada, pode indicar o aparecimento de uma doença ou mesmo "síndrome". "Como se a gente esperar algo, e até ter desencantos ou tristezas fosse algo ruim", completa Heloisa Lasmar.

Últimas notícias

Comentários