Técnico da Alemanha agradece ao Brasil e diz que equipe veio se "divertir"

Após a vitória sobre a Argentina, que deu o título de campeã do mundo à seleção alemã, Joachim Löw, em entrevista coletiva, elogiou a simpatia e alegria com que foram recebidos no país

14/07/2014 09:16

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Divulgação
O técnico alemão Joachim Löw: "Vencer a Copa no país do futebol nos deixa muito orgulhosos" (foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Divulgação)
O técnico Joachim Löw, campeão da Copa do Mundo de 2014, disse, após a partida contra a Argentina, que o time alemão veio ao Brasil para se divertir, curtir o país e mostrar a simpatia se seu povo. Assim como tinha feito antes de ir à África do Sul, há quatro anos, Löw disse aos seus jogadores que eles estavam representando, em outro continente, 88 milhões de alemães e era preciso fazer as pessoas sentirem isso. Ele agradeceu o Brasil por ter feito "uma Copa tão maravilhosa".

"Queríamos chegar e nos divertir, curtir a nossa estadia e mostrar a nossa simpatia como seleção e queremos que as pessoas sintam que estamos curtindo a viagem, que curtimos o futebol e que o time está trabalhando muito arduamente, mas curtindo o momento e foi isso que conseguimos dizer. Fizemos o nosso trabalho, falamos com as pessoas e elas nos receberam com muita alegria e muita simpatia. Muito obrigado, Brasil", agradece.

O técnico disse que após a vitória contra o Brasil viveu um dos momentos mais marcantes de sua carreira. "Ganhamos de 7 a 1 do anfitrião e a tristeza era muito grande neste país, mas quando saímos do estádio para chegar ao aeroporto, em um percurso que levou uma hora, milhares de brasileiros estavam nas calçadas batendo palmas. Quando chegamos ao nosso centro de treinamento, vimos as pessoas nas calçadas segurando cartazes e bandeiras da Alemanha. Foi algo indescritível, impressionante, isso entranha na pele", descreve.

O treinador disse que os brasileiros, principalmente os habitantes de Santa Cruz Cabrália, na Bahia, onde a seleção se concentrou durante o torneio, foram muito gentis com a seleção e passaram "muita energia positiva e simpatia" que eram sentidas por todos. Segundo Löw, o local da conquista valoriza a vitória, a primeira de uma seleção da Europa nas Américas. "Vencer a Copa no país do futebol nos deixa muito orgulhosos".

Löw declarou que o trabalho que vem fazendo na seleção tem dez anos e o campeonato mundial é o fruto do "trabalho árduo" e "espírito de equipe". "Temos capacidade, técnica impressionante e muita vontade de realizar os nossos desejos".
O treinador destacou as atuações de Schewinsteiger e do capitão Philipp Lahm, veteranos, a quem disse antes da partida que "teriam que dar mais do que deram no passado" e Mario Götze, autor do gol do título, a quem chamou de "menino maravilha", com qualidade técnica superior e que joga em qualquer posição. Perguntado sobre o que disse a Götze nas duas vezes que o chamou do banco de reservas antes de colocá-lo em campo, Löw foi certeiro: "Mostre que você é melhor que o Messi e vai decidir esta Copa". O "menino maravilha", que completou 22 anos em junho, foi lá e decidiu.

(com Agência Brasil e Ivan Richard)

Últimas notícias

Comentários