A Voz do Brasil não será mais às 19 horas

Comissão mista do Congresso aprova fim de horário fixo para o mais antigo programa de rádio em atividade no mundo

21/07/2014 12:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
FreeDigitalPhotos.net
(foto: FreeDigitalPhotos.net)
Quando você está no carro, à noite, e acha que vai ouvir as notícias ou uma música para relaxar, começa o programa A Voz do Brasil, que nem sempre agrada aos brasileiros. Mas isso pode mudar. No dia 16 de julho, uma comissão mista do Congresso Nacional aprovou a medida provisória 648/14, que libera as emissoras de rádio para transmitirem o famigerado programa institucional em qualquer horário entre 19 e 22 horas.

O texto original, enviado pelo executivo, flexibilizava o horário do programa apenas durante a Copa do Mundo. Já o relatório do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), aprovado pelos parlamentares, mantém a mudança do horário mesmo após o mundial da Fifa, exceto para as emissoras educativas, que teriam de continuar a transmitir o programa às 19 horas. As emissoras legislativas também ficariam livres para mudar o horário do programa em dias de sessão de votação no plenário, por exemplo.

Criado em 1935, no governo Getúlio Vargas, A Voz do Brasil é o programa que está a mais tempo no ar, no mundo, e é veiculado, obrigatoriamente, de segunda a sexta às 19 horas. Nele, são transmitidas informações dos poderes executivo, legislativo e judiciário. "O mundo mudou, e a necessidade de informação aumentou, sobretudo nas grandes cidades", diz o relator da medida provisória. "Justamente às sete da noite, um enorme contingente de pessoas deixa o trabalho, sendo de utilidade pública as informações fornecidas pelas rádios, em tempo real, sobre as condições do trânsito e outros acontecimentos relevantes", explica o senador Ricardo Ferraço.

De acordo com o relatório, as emissoras serão obrigadas a divulgar, às 19 horas, o horário em que o programa será retransmitido. Para o senador, a audiência do programa irá aumentar com essa flexibilização – a medida provisória ainda será analisada pelos plenários da Câmara e do Senado.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários