Você sabia que a Hepatite B mata 700 mil pessoas por ano no mundo?

No mês em que se comemora o Dia Mundial de Alerta para as Hepatites, vale lembrar que esse tipo da doença, que é sexualmente transmissível, possui vacina preventiva

por Da redação com assessorias 28/07/2014 13:09

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Foodsafetynews.com/Reprodução
No Brasil a vacina contra a hepatite B é disponibilizada gratuitamente para quem tem até 49 anos (foto: Foodsafetynews.com/Reprodução)
O mês de julho marca a luta mundial contra a hepatite, doença infecciosa que causa comprometimento da função do fígado. Tão severo quanto a do tipo C, a hepatite B faz cerca de 700 mil vítimas ao ano no mundo, de acordo com levantamento da Organização Mundial de Saúde. O número é ainda mais alarmante quando se analisa os infectados: são cerca de 2 bilhões de pessoas que carregam o vírus. A boa notícia é que, no Brasil, a doença pode ser prevenida gratuitamente.

A vacina contra a hepatite B está disponível na rede pública – para todas as pessoas até 49 anos de idade – e nas clínicas privadas – para todas as idades. Para estar protegido contra a doença, são necessárias três doses. Assim como o vírus da AIDS, o da hepatite B é sexualmente transmissível, porém seu contágio atinge altos índices, chegando a ser 100 vezes maior do que o do HIV.

A vacinação contra a hepatite B foi introduzida no Brasil há 15 anos, o que faz com que a maioria dos novos casos sejam notificados em pessoas nascidas antes de 1999. "Assim como em outras campanhas, a cobertura vacinal da hepatite B em bebês e crianças é muito grande. O maior problema está na conscientização de jovens e adultos, faixa etária que, em sua maioria, não está vacinada e é sexualmente ativa", explica Renato Kfouri, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações. "É importante que as pessoas sexualmente ativas entendam a gravidade e as consequências da doença", completa.

A população adulta apresenta uma taxa de até 10% de infecção crônica resultante da hepatite B, o que leva à evolução da doença para a cirrose e até para o câncer de fígado. Um dos maiores perigos nesse caso, é a ausência de sintomas, pois, muitas vezes, a doença evolui sem apresentar indícios e, quando a infecção é detectada, o câncer de fígado pode ter se manifestado. Esse tipo de tumor já figura entre as três primeiras causas de morte por câncer em homens e uma das principais causas nas mulheres.

"Além da imunidade contra a hepatite B, a vacina oferece proteção contra outra doença que pode levar à morte, o câncer hepático causado pelo vírus B. O benefício dessa imunização é de extrema importância para a saúde da população, sendo considerada uma das primeiras formas de prevenção contra um tipo muito significativo de câncer", diz Carla Domingues, coordenadora do Programa Nacional de Imunizações.

Prevenção da hepatite B

Como a infecção por esse vírus se dá pelo contato com sangue, sêmen, fluidos vaginais e outros líquidos corporais de alguém que já esteja infectado por hepatite B, a única forma efetiva de prevenção é a vacinação. Com indicação para todas as pessoas até 49 anos, a disponibilização na rede pública é feita em três doses: primeira dose; segunda após um mês; e a terceira após seis meses da segunda dose.

Independentemente da idade, alguns grupos de risco também podem se vacinar no Sistema Único de Saúde: gestantes,
manicures e pedicures, profissionais do sexo, militares, profissionais de saúde, caminhoneiros, usuários de drogas, homossexuais, catadores de lixo e tatuadores.

Principais sintomas da hepatite B:

  • Fadiga
  • Falta de apetite
  • Dores nos músculos e nas articulações
  • Febre baixa
  • Pele amarelada e urina escurecida

Últimas notícias

Comentários