Mais de 400 famílias serão retiradas de terreno para obra do "piscinão" do Arrudas

Construção que vai transformar uma área de quase 70 mil m² em bacia de retenção de água da chuva está em fase de projeto, e o edital de licitação, que resultará na retirada da população que vive no local, deve ser publicado em agosto

por Fernanda Nazaré 31/07/2014 12:17

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Google Maps/Reprodução
A área de quase 70 mil m² fica entre as avenidas Tereza Cristina e Juscelino Kibitschek, no bairro Calafate, região oeste de BH (foto: Google Maps/Reprodução)

As placas de alerta "Evite transitar neste local em caso de chuva forte" já não são mais a única atitude da prefeitura de Belo Horizonte para evitar mortes e perdas financeiras com os transbordamentos do Ribeirão Arrudas. Mais de 400 famílias, que vivem nas proximidades das avenidas Tereza Cristina e Juscelino Kubitscheck, no bairro Calafate, região oeste da capital, serão desapropriadas, para dar lugar a uma bacia de contenção das águas da chuva. A obra já está sendo chamada de "piscinão".

Segundo a assessoria da Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel), esse número de famílias que serão removidas pode aumentar, pois ainda não foi realizado o mapeamento da população que vive no local. "Esse trabalho ainda não começou. Vamos publicar, no final de agosto, o edital para a realização do trabalho social de remoção. E, com isso, esse número de famílias pode aumentar", diz a resposta enviada à Encontro pela assessoria do órgão municipal.

A obra do "piscinão" deve custar R$ 317 milhões aos cofres públicos, de acordo com a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap). A área que será transformada em bacia de contenção chega a 69.132,28 m², e será capaz de conter 600 milhões de litros de água da chuva – o equivalente a seis vezes o volume da barragem Santa Lúcia, na região centro-sul de BH.

As obras de combate às inundações do ribeirão Arrudas também incluem a implantação de um reservatório de controle de cheias no bairro das Indústrias, em Contagem. Neste caso, serão necessários R$ 40,3 milhões para a execução dos trabalhos.

A empresa que está fazendo o levantamento técnico da obra da bacia do Calafate, a Engesolo Engenharia, deve apresentar a primeira versão do trabalho para a PBH até novembro deste ano. "Se o projeto básico for aprovado, faremos o executivo [final] até março de 2015", afirma Walace Herom, coordenador de projetos da empresa.

Entenda como será a obra do "piscinão" do bairro calafate:

Editoria de Arte/EM/D. A Press
(foto: Editoria de Arte/EM/D. A Press)

Últimas notícias

Comentários