Anvisa suspende lote de dois importantes medicamentos

Prego e troca de produto foram os motivos para a agência retirar do mercado lotes de paracetamol e cetoconazol

20/08/2014 15:52

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
(foto: Divulgação)
Agora, além de se preocupar com a real eficácia dos medicamentos, o consumidor deve ficar de olho no que vem dentro da embalagem. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), publicou no Diário Oficial da União a suspensão de venda e o recolhimento de dois lotes de medicamentos muito usados pela população: paracetamol (indicado para febre e dor) e cetoconazol (contra infecções causadas por fungos). Os produtos devem ser recolhidos pelo laboratório fabricante, Teuto.

No caso do paracetamol 500 mg, lote 1998101, validade até novembro de 2015, a suspensão se deu após denúncia feita ao Procon por um consumidor. De acordo com o órgão, quando foi abrir a embalagem, o denunciante identificou que, em um dos blisters do medicamento, havia um parafuso no lugar do comprimido. Segundo o laboratório Teuto, o produto foi distribuído em Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Bahia.

Já o problema encontrado no lote 1048105, com validade até junho de 2015, do medicamento cetoconazol 200 mg, é ainda mais sério. O consumidor chegou a contatar o serviço de atendimento do laboratório, para reclamar que, ao abrir a caixa do remédio, ao invés do blister do produto, havia um do medicamento atenolol 100 mg, que é indicado para o controle da hipertensão arterial. O lote do cetoconazol foi distribuído em Goiás, Amazonas, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro e São Paulo.

Após essas suspensões, segundo a Anvisa, será feita a investigação das queixas técnicas e a avaliação de eventuais penalidades a serem aplicadas. As punições variam desde a advertência até o cancelamento da autorização de funcionamento da empresa ou do registro do produto. Está prevista ainda a aplicação de multa que pode oscilar entre R$ 2 mil e R$ 1,5 milhão.

(com assessoria da Anvisa)

Últimas notícias

Comentários