Governo federal mantém incentivo para venda de computador e smartphone

Com a continuidade da desoneração fiscal, o país deixa de arrecadar R$ 7,5 bilhões apenas com esse setor da tecnologia

21/08/2014 16:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Freedigitalphotos.net
O Brasil vai manter o incentivo do setor de computadores e smartphones, com a alíquota zero do PIS e do Cofins (foto: Freedigitalphotos.net)
Quem estava interessado em se atualizar na tecnologia, acaba de ganhar uma boa notícia. O governo federal prorrogou, por quatro anos, a alíquota zero do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) incidentes na venda de computadores e smartphones. Previsto para acabar no fim deste ano, o benefício foi estendido até 31 de dezembro de 2018.

A medida também abrange dispositivos como tablets, modem's e roteadores. De acordo com um comunicado emitio pelo Ministério da Fazenda, o governo deixará de arrecadar R$ 7,5 bilhões com a medida apenas em 2015. No entanto, o órgão alega que a renúncia fiscal é mais do que compensada pelo aumento da produção, das vendas e do emprego no setor.

O incentivo, que faz parte do Programa de Inclusão Digital, existe desde 2005. Segundo o ministério, a produção anual de computadores – incluindo desktops e notebooks – aumentou de 4 para 22 milhões de unidades num prazo de nove anos. Além disso, a desoneração do varejo teria sido integralmente repassada para o consumidor, como explica o comunicado oficial. Como exemplo, eles mostram que os smartphones tiveram queda no preço de até 30%, logo após a inclusão dos produtos no programa, em 2012.

Ainda de acordo com o texto divulgado, o benefício fiscal acelerou a formalização do mercado de trabalho do setor de informática, que saltou de 30% para 78% de trabalhadores com carteira assinada, na vigência do programa.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários