Conheça a musa fitness Bella Falconi

Em visita a BH para experimentar o vestido de noiva que usará em seu casamento - a ser realizado nos Estados Unidos -, a modelo mineira que faz sucesso nas redes sociais conta como aderiu ao estilo de vida saudável, dá dicas de como "não sair da linha" e confessa o seu "ponto fraco"

por Fernanda Nazaré 27/08/2014 11:15

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Facebook/Bella Falconi/Reprodução
A musa fitness Bella Falconi conta qual é seu pecado: "Eu tento encaixar o cheesecake aos momentos livres da minha refeição" (foto: Facebook/Bella Falconi/Reprodução)

Conhecida como a "musa do abdômen trincado", a belo-horizontina Bella Falconi, de 29 anos, tem mais de 1 milhão de seguidores no Instagram, que acompanham sua rotina diária de malhação e alimentação saudável. Morando há oito anos na cidade de Orlando, na Flórida (EUA), ela mudou seus hábitos há cerca de quatro anos. Nesse momento, passou a registrar na rede social a evolução de seu novo estilo de vida.

"Tudo começou quando uma amiga em comum se hospedou na minha casa, para participar de uma competição de fitness, em Ohio [também nos EUA]. Nunca tinha visto um abdômen tão definido, de perto. Foi impressionante. No dia seguinte, fiquei com aquela pulga atrás da orelha, e pensei: preciso tentar", conta. Ela, por conta própria, readequou a alimentação, voltou para a academia e, em três meses, a barriga "tanquinho" começou a aparecer.

A vida dessa mineira mudou bastante depois que ganhou popularidade no universo fitness. Atualmente, ela tem uma loja online de suplementos, pontos de venda nos EUA e, recentemente, abriu sua primeira academia na cidade onde mora. "Ela já está funcionando, mas a inauguração oficial será no fim do ano, após o casamento", afirma Bella. Antes, a ex-estudante de direito trabalhava no Banco do Brasil, na terra do Mickey e sua turma.

Agora, o próximo grande evento em sua na vida será em 1º de novembro, quando se casará em Orlando com o mineiro Ricardo Rocha.  Para isso, ela veio a Belo Horizonte fazer a prova final do seu vestido de noiva, numa grife da marca francesa Cymbeline.

Fernanda Nazaré/Encontro Digital
Bella Falconi posa junto com a ex-miss Minas Gerais, Rayanne Morais, na loja de uma grife francesa, em que fez seu vestido de noiva (foto: Fernanda Nazaré/Encontro Digital)


Quem já está casadíssima, há cinco meses, e foi apoiar Bella no evento que marca a reta final do casório, foi a ex-miss Minas Gerais e esposa do cantor Latino, Rayanne Morais, de 26 anos. A eterna miss relembrou os preparativos de seu casamento e aconselhou a amiga sobre o vestido: "Tem que usar e pensar: foi com isso que sonhei. O meu foi costurado 'no meu corpo' e ficou exatamente como sempre quis". Sobre a adaptação à vida de casada, ela é categórica: "Se existe carinho e certeza de que é com aquela pessoa que quer compartilhar a vida, as coisas acontecem naturalmente".

Conselhos matrimoniais à parte, a Encontro conversou com a musa fitness, que contou como conseguiu o corpão mais desejado da web, além de dar dicas para quem quer chegar lá. Ela confessa ainda seu grande pecado: a gula. Confira abaixo.

Revista Encontro - Está nervosa com os preparativos para seu casamento?
Bella Falconi - Eu nem tive tempo de ficar nervosa, ainda. Estou com muitos compromissos, com a agenda cheia. Acho que a minha ficha só caiu hoje, quando fiz a prova final do vestido. A primeira foi em Nova Iorque, e a segunda, aqui. Foi aí que pensei: "está chegando".

O que você acha que vai mudar em sua vida depois de se tornar casada?
A gente já mora junto há um tempinho. Espero que não mude nada. Somos muito 'parceiros', e sempre fomos amigos. Eu o conheço daqui de BH, mesmo. Estamos noivos há dois anos. Ele sempre me apoiou muito, e torce pelo meu sucesso.

Como é a sua rotina diária?
Eu durmo 'super' pouco. Quando estou em casa, minha rotina é bem corrida, pois tenho de distribuir minhas tarefas ao longo das 24 horas. O treino é sempre minha prioridade, já que é o meu trabalho. Lido com saúde e preciso sempre me cuidar e prezar para mantê-la, para poder transmitir isso às pessoas. Ou seja, fazer aquilo que prego. E ainda estou na faculdade. Me formo em nutrição no ano que vem. Além disso, abri uma academia, recentemente. A inauguração oficial será no final do ano. Mas ela já está funcionando. Tenho também o meu projeto Bella com a VitaFlex, que é minha empresa, e o projeto Bela com Bella, que é minha carreira, e inclui palestras.

Então podemos dizer que você já virou uma marca.
É quase inevitável não associar as coisas. Mas eu ainda gosto de ser vista como uma pessoa. Principalmente nas redes sociais. Muitas vezes as pessoas me procuraram só por interesse. Elas confundem um pouco. Por exemplo, pedem o meu mídia kit. Eu não tenho isso! Tenho minha marca, minha loja virtual e vendo apenas as coisas que têm a minha cara.

Facebook/Bella Falconi/Reprodução
A modelo tem apenas 29 anos e já possui grife de produtos para quem faz musculação, e até uma academia em Orlando, na Flórida (foto: Facebook/Bella Falconi/Reprodução)
Você disse que sua inspiração para começar a malhar e a comer de forma correta foi uma amiga em comum que se hospedou em sua casa. Ela está ciente da mudança de vida que causou em você?

Ela ia participar de uma competição fitness em 2011. O nome dela é Ana Monteiro, e foi responsável por plantar essa 'sementinha' no meu coração. Por isso, sou muito grata. Eu nem treinava na época e nunca tinha visto um abdômen tão definido, de perto. Foi impressionante. Conversando com ela, vi que a alimentação era 70% do trabalho e, a academia, 30%. Eu fazia tudo errado. No dia seguinte, fiquei com aquela pulga atrás da orelha. E pensei: preciso tentar. Mas tive muita disciplina e foco.

Sua rotina de treinos e o cardápio que segue foram construídos por você mesma. Não é perigoso?
Eu não acho que seja perigoso. Além do mais, segui os ensinamentos do livro Fit For Life, que, aliás, estou traduzindo para o português, com a ajuda de um colega. Fora essa publicação, sempre pesquisava em sites médicos. Nunca buscava explicações em blog ou em pesquisas do Google. Eu sempre aconselho as pessoas a buscar a ajuda de um profissional. No meu caso, não tinha condições financeiras de pagar por isso, na época.

Quando essa mudança em sua vida começou a mostrar efeitos em seu corpo?
Após três meses eu percebi que meu abdômen começou a 'responder'. Me sentia muito mais saudável e disposta. Até as noites de sono ficaram melhores. Acordava às cinco da manhã, sem despertador, e ia para a academia cheia de energia. Quando você passa a ser mais saudável, seu corpo responde. Não tem jeito. E isso dá ainda mais gana para continuar.

E como fica sua vida social, com uma dieta tão regulada?
Eu tenho uma vida social normal. Adoro jantar fora. Só que eu sei fazer escolhas inteligentes. Se sair e não estiver no dia destinado a 'comer errado', peço uma salada, arroz integral e um grelhado. Mas, geralmente, eu deixo uma refeição livre para os meus eventos sociais, por que eu sei que naquele dia posso comer um doce. Mas álcool eu cortei muito. Antes bebia vodca e champange. Hoje, só bebo vinho. Uma taça ou duas, no máximo. Não tenho mais a vontade de beber.

Qual conselho você dá a quem quer mudar os hábitos alimentares?
Se você for fiel a seus novos hábitos alimentares, por pelo menos três meses, a rotina passa a ser 'automática'. Eu desconheço uma pessoa que se arrepende de ter feito uma coisa que lhe proporcionou uma vida melhor. Não consigo me arrepender de ir à academia, de comer saudável. Se você voltar aos hábitos ruins, depois de tudo isso, passa a se sentir mal.

Como lidar com o sentimento de culpa, quando se come alguma "bobagem"?
A culpa é natural, mas ela não deve ser o caminho. Temos que abraçar a nova dieta como se fosse um estilo de vida. Você deixa de usar a culpa como uma desculpa, e pensa: "Eu não como por que não gosto, não tenho vontade". E, não, por que se comer vai se sentir "culpada".

Você tem algo que leva ao pecado da gula? Alguma comida que não combina com sua boa forma, mas que lhe faz "cair em tentação"?
Eu prego a vida com equilíbrio. Quando se fala em comida, em especial as que "engordam", é uma questão cultural. A gente é criada com festividades que se passam em torno de uma mesa de comida. Então, associamos o momento de prazer e alegria à alimentação. É muito difícil romper esse laço. Venho de uma família italiana, então, fui criada em volta de uma mesa cheia de pizza, de massa, de lasanha... Por isso, digo que o equilíbrio é tudo. Se você faz tudo certo, 70% do tempo, não vão ser os 30% que vão te "estragar". Até por que o corpo, depois de certo tempo, atinge uma maturidade, seu metabolismo já está bem condicionado, e não vai ser uma refeição que vai estragar seu físico. Eu tento encaixar o cheesecake aos momentos livres da minha refeição, quando participo de comemorações. Essa torta americana é meu ponto fraco, e não nego. Até hoje, depois da mudança em minha vida, ao longo desses quatro anos, a única coisa a que tenho de me afastar é o cheesecake.

Quais são as dúvidas mais frequentes dos seus seguidores nas redes sociais?
A principal é o que eu fiz para ter um abdômen "definido". Ele é o "carro-chefe". A minha imagem está associada a isso por que sou uma das primeiras a ter um Instagram sobre estilo de vida fitness. Sempre postei foto de meu abdômen, por que foi a primeira coisa que se tornou "definida" no meu corpo. Não queria ganhar perna, nem bunda. Hoje, a mídia me chama de "a musa do abdômen trincado". Fico imaginando quando eu ficar grávida, se vou virar a "musa do abdômen inchado" [risos].  Até tento desassociar um pouco minha imagem com a do abdômen, por que tenho mais a oferecer. Algumas mulheres criticam meu abdômen, dizendo que é muito masculino. Acho que isso está mais para um preconceito.

Últimas notícias

Comentários