Você sabia que Minas Gerais era banhada pelo mar?

Isso foi comprovado após cientistas brasileiros encontrarem fósseis de cloudinas, primeiros animais que habitaram a Terra, há 550 milhões de anos, na cidade de Januária, região norte do estado

por João Paulo Martins 09/09/2014 16:31

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Pedro Strikis/Unesp/Divulgação
As rochas que formam o paredão em Januária têm sua origem num mar antigo, que banhava também a Namíbia e a Argentina, que eram nossas vizinhas há 550 milhões de anos (foto: Pedro Strikis/Unesp/Divulgação)
Lucas Warren/Unesp/Divulgação
Os fósseis de cloudinas, primeiros seres vivos da Terra, indicaram que Minas já foi banhada por mar (foto: Lucas Warren/Unesp/Divulgação)
Quem visita o norte de Minas Gerais, especificamente a cidade de Januária – que fica a 613 km de distância de Belo Horizonte – não imagina que a região, com solo calcário propício para o cultivo de cana-de-açúcar, principal ingrediente da famosa cachaça mineira, já foi banhada por um mar, raso, há milhões de anos atrás. O estado fazia parte de ilhas que viriam a compor o antigo continente Gondwana (formado há 200 milhões de anos). Vizinhas às terras mineiras, nessa época, estavam localizadas as regiões da atual Argentina e da Namíbia. Isso foi comprovado a partir da descoberta de fósseis de cloudinas – primeiros animais a habitar a Terra, e que viviam na água –  num paredão rochoso na cidade do norte do estado. Eles foram datados com 550 milhões de anos.

O sítio arqueológico em Januária, onde a expedição de cientistas da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp) descobriu esse importante indício histórico, faz parte do chamado Grupo Bambuí: unidade sedimentar da bacia do rio São Francisco que se espalha por cerca de 300 mil km², englobando áreas dos estados de Minas Gerais, Bahia, Goiás, Tocantins e do Distrito Federal. Os sedimentos que formam o Grupo Bambuí nunca tiveram uma idade definida pela classe científica. "Sempre foi um 'pepino' geológico para os pesquisadores. Algumas pessoas achavam que fora criada há 700 mil anos. Porém, já tínhamos algumas evidências de que a unidade possuía semelhança com outros locais do mundo em que se encontrou fósseis de cloudinas", explica Lucas Warren, professor do Instituto de Geociências e Ciências Exatas da Unesp em Rio Claro (SP).

Além de Januária, os fósseis desse animal pré-histórico já foram registrados em outros 13 pontos do planeta: na Antártida, em Omã, na Namíbia,  em Corumbá (MS), no Paraguai, na Argentina e no Canadá. "Como sabemos que nesses locais os registros arqueológicos estavam associados às rochas marinhas, pudemos ter certeza de que o achado em Minas Gerais também fora gerado a partir de uma região banhada pelo mar, só que, neste caso, com águas rasas, com até 10 metros de profundidade", completa o geólogo da Unesp.

Encontro Digital
Clique para ampliar e conferir a evolução dos seres vivos na Terra (foto: Encontro Digital)


Curiosamente as cloudinas são os primeiros seres vivos providos de esqueleto. Antes, na Terra, existiam outros organismos, chamados de protistas – células especializadas –, e as algas, que habitam nossos planeta há cerca de 3,8 bilhões de anos. Os fósseis descobertos em Januária são o ponto de partida para a formação de todos os animais que conhecemos hoje – inclusive o ser humano.


Últimas notícias

Comentários