Camada de ozônio continua se recuperando

Levantamento da ONU mostra que destruição dessa importante parte da atmosfera terrestre diminuiu, e ela segue se recompondo

por Da redação com assessorias 13/09/2014 09:21

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pnuma/ONU/Divulgação
Com a diminuição da emissão de poluentes específicos, camada de ozônio está conseguindo se recuperar, diz ONU (foto: Pnuma/ONU/Divulgação)
De acordo o relatório do programa da ONU para o meio ambiente, realizado juntamente com a Organização Meteorológica Mundial (OMM), a camada de ozônio, que é a principal camada de proteção de nosso planeta contra a radiação excessiva do sol, segue na direção certa para se recuperar significativamente até 2050.

O documento, intitulado Avaliação Científica da Diminuição da Camada de Ozônio 2014, é resultado de uma investigação de dois anos realizada por 300 cientistas de 36 países, incluindo o Brasil. Ele mostra que a recuperação foi atribuída à ação coletiva dos governos, a partir da asinatura do protocolo de Montreal, que desde 1987 tem estimulado os países a desenvolver políticas e ações para reduzir e eliminar progressivamente o uso de produtos químicos que destroem o ozônio – principal gás que forma a camada protetora da atmosfera.

"A ação internacional sobre a camada de ozônio é uma grande história de sucesso ambiental", diz Michel Jarraud, secretário-geral da OMM. Apesar do resultado positivo, ele fez questão de lembrar que é preciso uma ação maior e mais unificada para combater as alterações climáticas e reduzir as flutuações contínuas que atrapalham a composição do ozônio na atmosfera.

O relatório também observa que a situação da camada de ozônio em 2050 dependerá do nível de concentração de emissão, nos próximos anos, do CO2, metano e óxido nitroso – os três principais gases causadores do efeito estufa.

Últimas notícias

Comentários