Grazi Massafera e Cauã Reymond estariam reatando. Como lidar com a mídia?

Especialistas mostram que o melhor nesse caso é que os famosos mantenham suas questões particulares longe da esfera pública, e que o mais importante é que estejam de bem consigo mesmos

por Fernanda Nazaré 19/09/2014 10:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paulo Belote/TV Globo/Divulgação
O ator Cauã Reymond estaria reatando a relação com Grazi Massafera, com quem já tem uma filha. Como lidar com a exposição da vida pessoal na mídia? (foto: Paulo Belote/TV Globo/Divulgação)
Lidar com o término de um relacionamento não é tarefa fácil. Imagine fazer isso sob os olhares e opiniões de milhões de pessoas. Na mídia chamada "marrom", especializada em fofocas, essa situação é o que mais se vê nas manchetes: O Casal do Ano, Fim do Romance, Briga por Pensão na Justiça. É uma verdadeira "novela" da vida real, que tem como personagens principais as pessoas que exercem uma profissão de exposição pública, como atores, cantores e demais personalidades da televisão. Um dos recentes casos em que a imprensa se foca em cada passo dado pelo casal são os atores Grazi Massafera e Cauã Reymond. Eles já foram "vítimas" até de um suposto triângulo amoroso envolvendo a atriz mineira Ísis Valverde – ela negou o fato.

Cada aparição pública da Grazi ou do Cauã sozinhos, ou mesmo acompanhados de amigos, vira manchete e objeto de várias análises emocionais – mesmo que nenhum deles manifeste a verdade para a imprensa. Agora, surge um novo capítulo na história do casal "global", que está movimentando a mídia e a internet: eles ensaiam uma reaproximação.

Será que um dos casais mais vigiados pela mídia, hoje, realmente reatou? Os leitores e internautas acompanham a vida íntima de pessoas reais que sofrem, têm sentimentos e inseguranças, tal qual personagens de uma novela do horário nobre. Mas, e os artistas, como lidam com essa grande exposição, e tomam decisões de cunho pessoal, sem se influenciar pela opinião pública?

Para a psicoterapeuta especializada em sexualidade humana, Maria Luíza Rocha de Andrade, deixar de reconstruir um relacionamento por medo do que as pessoas vão dizer é algo "muito tenebroso": "A gente precisa aprender a se entender, ouvir o sentimento e o coração. Se a experiência diz que vale a pena, é preciso aprender a colocar isso na 'balança', levando em conta os prós e os contras. Muitas vezes, a pessoa tem de abrir mão de algo que gosta para se preservar, para escolher o melhor caminho para sua vida. Mas fazer essa escolha baseada na opinião dos outros é ir contra seu próprio desejo, é dar mais valor à opinião externa do que a si mesmo".

Pessoal x artístico

Conhecido por cuidar da carreira de várias celebridades, como Juliana Paes e Sophie Chalote, o agente Ike Cruz conta que procura não interferir na vida pessoal dos clientes, mas quando eventos como separações e brigas públicas "respingam" negativamente na profissão do artista, ele os orienta a preservar a imagem. "Quanto mais se enaltece publicamente um relacionamento, mais chance de gerar boatos de separação se cria. Essa é a notícia que mais vende. Se a pessoa for discreta em relação a um companheiro, quando houver uma briga, não haverá tanta repercussão. Existe uma 'novela' paralela quando há superexposição do casal famoso", explica.

Sobre fazer publicidade juntos, como é o caso de Cauã Reymond e Grazi Massafera, o agente também considera arriscado. Os dois assinaram um contrato para uma campanha publicitária de uma marca de biscoitos, mas se separaram durante o trabalho. Para não romper com o compromisso conjunto, o casal tentou evitar que a separação fosse descoberta pela mídia. "Eu não costumo sugerir esse tipo de trabalho para meus clientes, mas não posso tomar decisões por eles. Isso só é seguro quando o casamento já está consolidado, como é o caso do Tarcísio Meira e da Glória Menezes", afirma.

Quando se trata de esclarecer boatos sobre a vida pessoal para a mídia, Ike Cruz acredita que a discrição ainda é a melhor saída. Ele cita como exemplo a Ísis Valverde, que foi apontada como pivô da separação do casal: "Uma vez disse para a atriz que basta que ela saiba a verdade. Que não precisa se justificar. Isso é uma coisa de caráter, é o que a gente é. Não precisa explicar. Não acho pertinente ficar dando satisfação. E para se negar publicamente, é preciso estar '100%' confiante. Eu, como assessor, nesse caso, recomendo o silêncio, já que o problema é entre Cauã e Grazi, não é com a Ísis". Para completar, ele brinca: "Eu torço para que minhas clientes namorem pessoas cujas profissões não sejam públicas, como um arquiteto ou advogado [rs]".

Últimas notícias

Comentários