Cidade mineira recebeu 500 mil romeiros em agosto

Para pedir graças ou agradecer milagres atribuídos a Nossa Senhora da Abadia, milhares de pessoas lotam a pequena Romaria, no Alto Paranaíba, que é um dos principais destinos do turismo religioso em Minas

14/10/2014 15:44

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Senhoradabadia.com.br/Reprodução
A cidade de Romaria tem apenas 4 mil habitantes e chega a receber meio milhão de romeiros durante a festa de Nossa Senhora da Abadia (foto: Senhoradabadia.com.br/Reprodução)
A região do Alto Paranaíba registra uma das maiores devoções católicas de Minas Gerais. Há mais de 100 anos, peregrinos de todos os lugares do país caminham até o município de Romaria para agradecer e pedir graças a Nossa Senhora da Abadia. A cidade, de pouco mais de 4 mil habitantes, chega a receber meio milhão de pessoas, entre os dias 6 e 15 de agosto, período da festa da padroeira.

"É humanamente impossível explicar a devoção dessas pessoas", diz o pároco da cidade, padre Márcio Ruback. Segundo ele, há pessoas que chegam a percorrer de 200 a 300 quilômetros a pé pelas estradas da região. "Como explicar o gesto de pessoas que caminham essas distâncias só para subir uma escadaria e ver uma imagem? É a figura do sagrado. São pessoas que querem olhar a Mãe (Nossa Senhora da Abadia) e se deixam olhar por ela", completa.

Durante 15 dias, a festa muda a rotina da pacata cidade. As ruas estreitas são tomadas pela multidão. Nas escolas, as férias escolares do meio do ano são transferidas para o mês de agosto. Moradores deixam suas residências para hospedarem romeiros. E os passeios em frente às casas são alugados para comerciantes, que vem de toda a parte do País para venderem produtos que vão de artigos religiosos a roupas íntimas. "A cidade é muito pobre. Muitos sobrevivem durante o ano com a festa de agosto", conta o padre. "A economia do município gira em torno dessa festa".

As histórias de graças alcançadas por meio da santa se repetem entre os participantes. Maria Abadia, que mora em Tapira (que também fica na região do Alto Paranaíba), caminhou 250 quilômetros durante seis dias para chegar em Romaria. "Em 2005, meu filho sofreu um acidente na estrada. Ele teve traumatismo craniano e eu pedi a Nossa Senhora da Abadia pela vida dele. Enquanto meu corpo aguentar, eu voltarei aqui para agradecer". Morador da vizinha Monte Carmelo, o caminhoneiro Paulo Sérgio da Silva tenta definir a devoção: "A gente acredita que ela faz pela gente. E nós fazemos isso por ela". Ele percorreu cerca de 30 quilômetros a pé para tocar a imagem da santa.

(com assessoria da ALMG)

Últimas notícias

Comentários