Dor nas costas pode ser um problema mais grave

Apesar de ser muito comum entre as pessoas, a lombalgia não deve ser tratada como uma dor qualquer, diz especialista

por Da redação com assessorias 28/10/2014 17:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Advancedhealthcareofthepalmbeaches.com/Reprodução
De acordo com o ortopedista, a lombalgia pode significar até câncer de cólon (foto: Advancedhealthcareofthepalmbeaches.com/Reprodução)
Encarada por muitos como um problema simples e passageiro, a dor nas costas é uma das queixas físicas mais comuns entre as pessoas das mais variadas idades e com estilos de vida diferentes. Já atinge, ou irá afetar, ao menos, por uma vez, 80% da população, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde.

Segundo o ortopedista Filippo Zozolotto, do Centro Médico São José, a dor nas costas pode estar relacionada a diversos problemas, incluindo traumatismos, excesso de carga, fadiga, mau jeito, sedentarismo, postura errada, estresse, carência de vitaminas e problemas metabólicos, como hipotireoidismo e excesso de ácido úrico. "Muitos pacientes sofrem, há muito tempo, com dores constantes e não procuram atendimento médico, por acreditarem ser uma patologia simples. Porém, inúmeras doenças mais graves podem parecer ser lombalgia", explica.

Entre os problemas que se refletem na coluna estão: aneurisma aórtico, endometriose, gravidez tubária, cálculo renal, pancreatite, úlcera péptica e câncer de colón. Isso ocorre devido à localização dos órgãos afetados. "Portanto, se a dor lombar persistir, é necessário procurar um médico com urgência", alerta o especialista.

O diagnóstico da lombalgia, ou dor nas costas, é realizado por meio da análise do histórico do paciente, em que ele relata a profissão, hábitos e tempo da patologia. Em seguida, é recomendada a realização de exames de imagem, para diagnosticar, por exemplo, traumatismos, doenças sistêmicas ou progressivas. O tratamento deve incluir repouso por dois ou três dias, uso de analgésicos e anti-inflamatórios, que ajudam a suportar a realização das atividades físicas.

Além da prática de exercícios físicos regularmente, o médico dá as seguintes dicas para se evitar problemas na coluna:

  • Evite dormir em uma mesma posição

  • Obseve a data de validade do colchão (não ultrapassar 10 anos)

  • Mantenha a postura correta durante a leitura ou para assistir televisão

  • Evite ficar longos períodos de tempo na mesma posição

  • Cruze as pernas esporadicamente, pois auxilia no relaxamento da musculatura das coxas e da coluna lombar

  • Ao agachar, realize movimento correto, dobrando as pernas, e não, a coluna

  • Evite carregar excesso de peso; se for necessário, peça ajuda

  • Não guarde a carteira no bolso de trás da calça, devido ao fato de sentar sobre ela e causar um desequilíbrio na região lombar

  • Evite o uso de bolsas ou mochilas pesadas. Elas devem carregar até 10% do peso da criança ou do adulto, para não causar desconforto e, consequentemente, dor

Últimas notícias

Comentários