Pachecão dá dicas para o Enem

Famoso pela descontração e bom humor, professor mineiro fala sobre como se preparar para o Exame Nacional do Ensino Médio

por Marcelo Fraga 30/10/2014 16:09

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.


Divulgação
O extrovertido professor Pachecão fala sobre o Enem: "É necessário ter a consciência de que um possível mau desempenho no Enem não é o fim do mundo" (foto: Divulgação)


"Inteligente, bem elaborada e bem estruturada". Assim, José Inácio da Silva Pereira – o Pachecão – define o Enem, a prova que vem tirando o sono de milhões de estudantes. Mas, para o professor de física, que é especialista em cursinhos preparatórios, se a pessoa que vai fazer o exame está preparada e buscou conhecer o formato da prova, não há com o quê se preocupar. Ele diz, ainda, que não basta a escola e o cursinho serem de qualidade, por que, na "hora H", tudo depende do aluno e do que ele estudou.

Atualmente, o Enem substitui o vestibular nas principais universidades federais, em algumas estaduais e até em faculdades particulares, que já utilizam a prova como principal critério de seleção de novos alunos. De acordo com Pachecão, apesar da substituição dos vestibulares, o exame é muito diferente das provas tradicionais. "Os diferenciais do Enem estão na exigência de concentração, e, principalmente, interpretação das questões. É necessário um bom nível de conhecimento da língua portuguesa para entender as perguntas", afirma. O professor conta que, quase sempre, há uma indicação de resposta no próprio enunciado.

Outro aspecto destacado por Pachecão – que ficou famoso por seu método descontraído de ensinar física – é a abordagem das questões do Enem. Segundo ele, o cotidiano está presente na maioria das perguntas, principalmente na prova de física, sua especialidade. "O aluno vai encontrar questões com enunciados simples que estão relacionadas ao seu dia a dia, como, por exemplo, calcular o custo de um banho, ou quanto um ferro de passar roupas, que esteja ligado por determinado tempo, gasta de energia", explica.

Sobre as áreas da física que, certamente, serão exigidas na prova do Enem, o professor cita a energia cinética, a potencial gravitacional e a potencial elástica, além da hidrostática, que, segundo ele, pode trazer cálculos sobre a pressão existente em oceanos e rios, inclusive com algo relacionado à extração de petróleo no pré-sal.

Com relação à ansiedade que antecede a prova, Pachecão diz que é normal que os alunos tenham esse sentimento, por ser um momento muito importante na vida, porém, isso não pode ser encarado como a única chance de futuro em sua vida. Ele mesmo conta que fez 13 vestibulares até ser aprovado. "É necessário ter a consciência de que um possível mau desempenho no Enem não é o fim do mundo. No próximo ano tem outro exame e, consequentemente, outra chance de se dar bem", lembra.


Não deixe de conferir nossas matérias diárias sobre o Enem!

Últimas notícias

Comentários