Brasil possui "faculdade" de crime na internet

Levantamento feito no país mostra que por apenas R$ 100 é possível aprender a fazer uma página de banco falsa e roubar os dados bancários dos usuários

por Da redação com assessorias 19/11/2014 16:34

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Segundo a Trend Micro, Brasil é o único país do mundo que oferece serviços e produtos ligados ao crime cibernético para quem quer virar um ladrão digital (foto: Pixabay)
Depois de analisar e mapear o submundo do crime virtual na Rússia e na China, a Trend Micro – empresa especializada em programas antivírus – apresenta um panorama dos problemas de segurança digital no Brasil. Segundo o estudo, o cibercrime no país é considerado o único do mundo que possui treinamentos para pessoas que querem entrar nesse "mercado". Os aperfeiçoamentos mais buscados são os que ensinam a cometer fraudes bancárias, e podem custar entre R$ 120 e R$ 1.500.

Os criminosos também oferecem serviços e ferramentas para os "iniciantes". Páginas de phishing (simula um endereço verdadeiro só para capturar dados dos internautas) são opções muito utilizadas no Brasil, principalmente as relacionadas a instituições bancárias. Os delinquentes se apropriam das credenciais do usuário e conseguem fazer movimentações em suas contas bancárias. O custo para se criar esse tipo de armadilha digital é, em média, de R$ 100. O Brasil é, também, o segundo país em número de sistemas infectados por malware (programa malicioso) bancário, atrás apenas dos Estados Unidos e empatado com o Vietnã.

As ferramentas oferecidas no mercado negro, muitas vezes, permitem que pessoas com pouco conhecimento em tecnologia consigam ter sucesso ao aplicar golpes e fraudes online. Um exemplo de ferramentas disponíveis são os bolware kits, que, uma vez instalados na máquina do usuário, conseguem modificar os boletos bancários gerados naquele sistema. O levantamento da Trend Micro mostra que a ferramenta custa em torno de R$ 400.

"O cibercrime no Brasil está se desenvolvendo cada vez mais. A oferta de softwares, serviços e malwares maliciosos está crescendo, e os preços diminuindo. Nosso levantamento teve como objetivo mapear o crime digital para ajudar a detê-lo, mas também serve como um alerta para o usuário sobre o problema da segurança digital e para os cuidados que ele deve ter com o seu comportamento online", diz Fernando Mercês, pesquisador da Trend Micro responsável pela elaboração do estudo.

Os criminosos também oferecem, de forma gratuita, geradores de números de cartões de crédito. Uma vez que são identificados os algoritmos a partir dos quais são geradas as sequências de uma bandeira, o programa consegue gerar todas as combinações possíveis, mas não são, necessariamente, números de cartões válidos. Em 2011, esses programas custavam R$ 400.

Confira abaixo outras "ferramentas" criminosas em oferta no submundo do crime digital:

  • Credenciais de cartões de crédito válidos – a partir de R$ 90 (dependendo do limite de crédito do cartão)

  • Lista de números de telefone – a partir de R$ 750 (dependendo do tamanho da cidade)

  • Software que envia spam via SMS – R$ 499

  • Seguidores, visualizações e likes em redes sociais – a partir de R$ 20

Últimas notícias

Comentários