Brasil é campeão mundial no uso de agrotóxico

Ativistas reclamam que o método de produção agrícola em nosso país induz o agricultor a apelar para produtos químicos para manter a produtividade em alta sem expandir a área cultivada

05/12/2014 18:01

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fernando Frazão/Agência Brasil/Divulgação
Segundo a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, a maçã vendida para o consumidor possui 10,1% de pesticidas, o mamão tem 21,6% e a a cenoura é a recordista, com 48,9% (foto: Fernando Frazão/Agência Brasil/Divulgação)
O Brasil é campeão mundial no uso de agrotóxicos, cabendo a cada brasileiro o consumo médio de 5,2 litros de veneno agrícola por ano. O dado foi divulgado por ambientalistas, no início de dezembro deste ano, período em que é celebrado o Dia Internacional da Luta contra os Agrotóxicos. A data lembra a tragédia ocorrida há 30 anos, na cidade de Bhopal, na Índia, quando uma fábrica da Union Carbide, atual Dow Chemical, explodiu, liberando toneladas de veneno no ar, matando nas primeiras horas 2 mil pessoas e outras milhares nos dias seguintes.

Ativistas criticam o modelo agrícola brasileiro, dirigido à exportação e altamente dependente de produtos químicos na agricultura. "Nós, aqui no Brasil, estamos desde 2008 na liderança como os maiores consumidores de agrotóxicos no mundo. Nosso pais se coloca no cenário mundial como exportador de matérias primas básicas, sem nenhum valor agregado, como é o caso da soja, do milho e da cana. São produtos que ocupam a maior parte da área agricultável brasileira, à medida que a superfície para alimentos básicos vem diminuindo", diz Alan Tygel, integrante da coordenação nacional da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida.

Segundo o ativista, o Brasil é campeão no uso de agrotóxicos, com consumo per capita de 5,2 litros por habitante, ao ano. "Mas isso não é dividido de forma igual. Se pegarmos municípios de Mato Grosso, por exemplo, como Lucas do Rio Verde, lá se consome 120 litros do produto por habitante", alerta.

Filme-documentário lançado este ano fala sobre os perigos dos pesticidas:



O ativista Alan Tygel lembra que o meio ambiente sofre forte impacto com a pulverização aéra, que culmina na extinção em massa de diversas espécies de insetos, como abelhas, o que leva à baixa polinização das plantas e da produção de mel. Também as águas são contaminadas com moléculas absorvidas pelos animais e pelo ser humano, levando a uma série de doenças que, muitas vezes, são passadas das mães para os filhos.

Confira abaixo uma lista emitida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária com amostras analisadas entre 2011 e 2012, e que apresenta as frutas e vegetais com maior índice de pesticidas:

  • Pimentão: 89%
  • Cenoura: 67%
  • Morango: 59%
  • Pepino: 44%
  • Alface: 43%

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários