Mudança da Feira das Flores deixa vendedores irritados

Em audiência realizada na Câmara de BH, feirantes reclamaram da queda nas vendas após deixarem a av. Bernardo Monteiro

11/12/2014 13:59

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Mila Milowski/CMBH/Divulgação
Os feirantes não estão satisfeitos com a nova localização da Feira das Flores, pois, segundo eles, houve diminuição nas vendas (foto: Mila Milowski/CMBH/Divulgação)
Conhecida popularmente como Feira das Flores, a feira de artesanato Espaço da Cidadania, instalada na avenida Carandaí, no bairro Funcionários, em caráter provisório desde março de 2013,  foi pauta de discussões em audiência pública realizada na Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Câmara dos Vereadores. Na ocasião, os expositores reclamaram da queda nas vendas após a mudança de endereço. A feira teria sido retirada do local de origem – canteiro central da av. Bernardo Monteiro – em razão dos riscos de acidentes com a queda de galhos das árvores fícus, após infestação da mosca branca.

"Não estamos satisfeitos com esse espaço, pois não estamos vendendo. Tínhamos um espaço construído com muita luta, há doze anos. Fizemos nosso público adequando nossa mercadoria a ele, o que, hoje, não ocorre mais", diz a feirante Rosemary Baeta, destacando que o local é sujo e possui bueiros abertos.

Diante da situação, a reivindicação feita pelos feirantes é retornar à avenida Bernardo Monteiro ou ir para um lugar mais próximo, a fim de que possam recuperar a clientela. Eles também questionaram o impedimento de sua permanência no local de origem, uma vez que a avenida não foi isolada e as pessoas continuam transitando ali, mesmo com o possível risco de queda das árvores.

Segundo Márcia Mourão, gerente de Gestão Ambiental da secretaria municipal de Meio Ambiente de BH, a prefeitura propôs a formação de um grupo, composto por representantes do Movimento Fica Fícus, feirantes, empresários instalados no entorno, Ministério Público e Câmara Municipal, para discutir a questão. Serão debatidas as diretrizes que conduzirão a elaboração de um projeto de revitalização da área, envolvendo a garantia de retorno da feira e das árvores frondosas ao local. Posteriormente, essas propostas serão levadas ao conselho deliberativo do Patrimônio Cultural da capital, para elaboração, aprovação e implantação do projeto.

Segurança

A secretária adjunta da regional Centro-Sul, Nilda Maria Xavier, reafirma que os expositores foram retirados do local original em função da falta de segurança, devido ao problema da mosca branca. Ressaltando que, à época, foi feita uma discussão com representantes de todos os segmentos para que houvesse a mudança de local. A secretária informa que está sendo discutida a revitalização da região. "Assim que se chegue a um consenso, será elaborado um projeto e, quando o projeto for implantado, os feirantes voltarão a ocupar a avenida Bernardo Monteiro", garante.

(com assessoria da CMBH)

Últimas notícias

Comentários