Você tem alergia à bijuteria, ao ouro ou a outro metal?

Segundo especialista, a principal causa da reação alérgica da pele se deve ao uso de níquel na composição dos acessórios. Portanto, é essencial escolher peças que tenham materiais de qualidade

por Fernanda Nazaré 12/12/2014 18:52

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
De acordo com a dermatologista, quanto mais se usa um acessório, mais chance a pele tem de reagir a ele e causar uma alergia (foto: Pixabay)
Coceira, irritação, vermelhidão e inflamação. Se você sentiu isso na pele ao usar uma bijuteria fique atenta: pode ser alergia a algum tipo de metal usado nesse acessório. De acordo com Maria Sílvia Laborne, presidente do departamento de dermatologia da Associação Médica de Minas Gerais, o níquel é o composto que mais provoca reações alérgicas de contato entre acessórios e a pele. O melhor tratamento, nesses casos, é evitar brincos, anéis e pulseiras que contenham esse metal.

De acordo com a dermatologista, a alergia ao níquel é muito comum porque esse material é usado como liga para se criar outros metais. "Eu tenho essa alergia. Inclusive, tenho reação até a algumas peças em ouro [que podem conter níquel]. Mas, há pessoas que têm alergia ao ouro ou a outros tipos de metal", afirma.

Mesmo quem não tem alergia talvez, um dia, possa desenvolver alguma reação aos metais. Esse tipo de processo alérgico é uma defesa do corpo a algo que o incomoda. Na medida em que a pele vai tendo contato contínuo com o material que causa "incômodo", o organismo torna-se irritado até chegar ao momento em que ele passa a rejeitar o produto. "Quanto mais a pessoa tem contato com um metal, maior a possibilidade de desenvolver a alergia. Eu desenvolvi a minha depois de adulta", conta a especialista.

Como explica a dermatologista, nem todas as reações que acontecem na pele podem ser sintomas de alergia. Se o local em que a pessoa usou uma bijuteria ficar esverdeado, pode ser apenas um desbotamento do metal. Há também casos em que o acessório parece ser corroído pelo suor. "As glândulas sudoríparas liberam sal, igual ao soro fisiológico. O mineral corroi o metal, como se a pessoa tivesse entrado no mar usando a bijuteria. A impressão que algumas pessoas têm de que os acessórios ficam corroídos de forma diferente para cada indivíduo, na verdade, é apenas uma questão de tempo de uso. Quanto mais se usa a bijuteria, mais contato com o sal da pele a peça tem", explica maria Sílvia Laborne.

Últimas notícias

Comentários