Bairro de Lourdes ganha Rede de Comerciantes Protegidos

Sistema pioneiro de comunicação, que já reduziu a criminalidade em 40% na Savassi, será implantado na região nobre de BH, que é conhecida pela grande concentração de bares e restaurantes

08/01/2015 15:32

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
João Carlos Martins/Encontro
Assim como foi feito na Savassi, os comerciantes do bairro de Lourdes, em BH, passam a usar o WhatsApp para ajudar na segurança da região (foto: João Carlos Martins/Encontro)
Estabelecimentos como bares e restaurantes, além, claro, das demais lojas do bairro de Lourdes, que fica na região centro-sul de Belo Horizonte, já podem participar da Rede de Comerciantes Protegidos, um sistema sem custo que utiliza a tecnologia do aplicativo WhatsApp para troca de informações sobre segurança patrimonial e comercial. O programa, implantado no dia 22 de outubro de 2014 na Savassi, já contribuiu com a redução de 40% da criminalidade da região.

Em Lourdes, bairro que conta com um número expressivo de estabelecimentos destinados ao setor de alimentação fora do lar, a efetivação da Rede de Comerciantes Protegidos conta com a parceria da Polícia Militar de Minas Gerais, da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte, da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Minas Gerais (Abrasel-MG) e com o apoio da Associação da Praça Marília de Dirceu e Adjacências.

O Programa da Rede de Comerciantes Protegidos possui um sistema prático e simples. Inicialmente, é realizado um credenciamento, em que são catalogados todos os comerciantes de cada rua. Após, é enviado para os lojistas um formulário de compromisso, constando o nome, estabelecimento e número de celular. Assim os participantes da rede trocam informações sobre segurança e se comunicam por meio do aplicativo WhatsApp. Segundo o Major Marcellus de Castro, comandante da 4ª. Companhia da PM, são proibidas piadinhas ou brincadeiras no aplicativo, pois o intuito é fornecer informações relevantes, como a presença de suspeitos ou ocorrência.

O presidente da Abrasel-MG, Fernando Júnior, destaca a importância da tecnologia como mecanismo de segurança. "Hoje, com a modernidade e com a criação de aplicativos de comunicação, é possível agrupar indivíduos que compartilham de interesses semelhantes e se ajudam mutuamente em prol de um objetivo maior, que é a manutenção da segurança", diz.

Ainda por meio do WhatsApp, os policiais encaminham mensagens de autoproteção para os lojistas, orientando-os como aumentar o nível de segurança do estabelecimento, além de monitorar os comunicados, agindo conforme a demanda. Para a criação e manutenção da rede, é essencial que cada participante tenha em seu estabelecimento um smartphone, colocando em prática as orientações fornecidas pela PM. Como suporte para o projeto de Lourdes, a 4ª. Companhia da PM disponibilizará policiais que realizarão rondas na região e estarão aptos a agir quando necessário.

(com Assessoria da CMBH)

Últimas notícias

Comentários