Fuga do tema e cópia de textos foram os erros mais comuns da redação

De acordo com especialistas, o tema mais amplo pode ter levado os estudantes a se perder na hora de montar as ideais para a dissertação do Exame Nacional do Ensino Médio do ano passado

15/01/2015 11:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
USP Imagens/Divulgação
De acordo com o Inep, quase 220 mil estudantes que fizeram a redação do Enem 2014 fugiram do tema proposta, que era publicidade infantil (foto: USP Imagens/Divulgação)
Entre os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), sobre a edição 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), chama a atenção o grande número de candidatos que tiraram a nota zero na prova de redação: 529.373. O total corresponde a 8,5% dos participantes do exame. Na outra ponta, apenas 250 estudantes obtiveram a nota máxima. Na edição de 2013, com menos inscritos (7.173.574 inscritos contra 8.721.946 em 2014), 481 tiveram nota mil e 106.742 redações com nota zero.

Mas o que leva os estudantes a irem tão mal na prova de redação? Segundo o Inep, as redações com nota zero deixaram de atender ou infrigiram os critérios de correção estabelecidos no edital.

De acordo com o professor de língua portuguesa Marcelo Freire, do Colégio JK de Brasília, o exame de 2014 trouxe um tema mais abrangente que do ano anterior, e, com isso, muitos candidatos podem ter se perdido na condução do tema. "Ao se depararem com um tema aberto, muitos alunos foram tratar ou só de publicidade ou só da questão infantil ou mesmo tangenciaram esse assunto, o que os levou à nota zero", afirmou. Em 2013, a prova abordou um assunto debatido quase que exaustivamente pela mídia: "os efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil".

Quem concorda com isso é a professora de língua portuguesa Viviane Faria, do curso de Reciclagem de Língua Portuguesa, que acredita que os estudantes tenham dificuldade em usar elementos que conectem as ideias expressas no texto. "Vamos supor que um candidato que venha a escrever sobre esse tema ache que a publicidade infantil é muito agressiva. Esse seria um argumento do candidato que estaria se posicionando contra a publicidade infantil abusiva. Só que na redação inteira ele fica falando sobre a associação de super-herói a alimento. Pronto! Ele acaba de fugir do tema", exemplifica.

Um outro problema que a professora levanta é o não atendimento número mínimo de linhas (sete linhas) estipuladas para desenvolver o tema da redação. Segundo ela, a desclassificação das redações que não atendem esse requisito ocorre porque praticamente não há como cumprir com as características textuais do texto dissertativo-argumentativo em menos de 20 linhas.

Alysson Lisboa/Encontro Digital
(foto: Alysson Lisboa/Encontro Digital)


(com Portal EBC e  Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários