Vibrolipoaspiração elimina gordura de forma menos invasiva

O método usa cânulas com movimentos especiais que promovem a maior retirada de gordura localizada sem afetar tanto os tecidos do paciente

por Da redação com assessorias 03/02/2015 10:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Internet/Reprodução
Os movimentos da vibrolipoaspiração promovem uma maior retirada da gordura localizada e causam menos danos ao corpo, propiciando uma recuperação mais rápida (foto: Internet/Reprodução)
Menos agressiva que a lipo tradicional, a chamada vibrolipoaspiração é uma alternativa para quem deseja acabar com aquela teimosa gordura localizada sem sofrer todos os danos do procedimento tradicional. Os vibrolipoaspiradores promovem uma remoção mais facilitada dos excessos do tecido adiposo, permitindo a recuperação mais rápida do paciente: por meio de cânulas – longos tubos que retiram a gordura – mais finas e capazes de executar movimentos de rotação e de vaivém, é feita uma retirada maior de volume gorduroso com menos trauma para os tecidos.

De acordo com a cirurgiã plástica Cassiana Cabral, a vibrolipoaspiração é melhor também para o profissional, que se desgasta menos do que nos métodos tradicionais, que exigem maior esfoço físico do médico.Os pacientes ganham com o menor trauma aos tecidos. "O procedimento é mais seguro pelo menor sangramento, deixa menos hematomas e a recuperação é rápida e menos dolorosa", explica a especialista.

A técnica pode ser aplicada em todas as partes do corpo e feita em qualquer pessoa que tenha condições clínicas para o procedimento. É preferencialmente indicada para pacientes com peso relativamente normal, pele firme, bom tônus muscular e boa consistência do tecido celular subcutâneo.

A médica ressalta que o intuito da vibrolipo não é o emagrecimento, e sim, a melhora do contorno corporal. "O procedimento visa a redução de medidas através da redução do volume de gordura corporal em áreas localizadas, e não a redução de peso corporal, uma vez que a maior mudança se dá na silhueta e não na balança", esclarece Cassiana. A médica destaca ainda que a gordura eliminada durante a cirurgia pode ser reaproveitada e enxertada em áreas que precisam de preenchimento, como bumbum, coxas e quadris.

O tempo de cirurgia depende da quantidade de gordura retirada, mas em média, leva de duas a três horas, e a anestesia pode ser geral ou sedação, dependendo da área a ser expirada. Como todo procedimento cirúrgico, o resultado depende da capacidade profissional do médico cirurgião, da infraestrutura do local a ser realizado e também dos cuidados tomados pelo paciente em seu pós-operatório.

Últimas notícias

Comentários