Sabia que o bairro de Lourdes tem o m² mais caro de BH?

Entenda quais são os fatores que fizeram com que a região se transformasse na mais inflacionada do mercado imobiliário da capital

por Daniel Camargos 03/02/2015 18:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
João Carlos Martins/Encontro
Para se ter uma ideia do alto valor dos imóveis no bairro de Lourdes, o m² na região custa em média R$ 13 mil, enquanto no resto da cidade chega a R$ 5,4 mil (foto: João Carlos Martins/Encontro)
No cruzamento das ruas Antônio Aleixo com São Paulo, no coração do Bairro de Lourdes, a reportagem de Encontro fica ao lado do senador Antonio Anastasia (PSDB), enquanto aguarda para atravessar o cruzamento. Ao ver o equipamento do fotógrafo, Anastasia pergunta qual reportagem está sendo feita ali. Ao saber que o tema é o bairro onde ele voltou a viver desde que deixou a residência oficial, o Palácio das Mangabeiras, o também professor de Direito afirma: "É um bairro esplêndido". O adjetivo usado por Anastasia encontra eco nas palavras de moradores e especialistas do mercado imobiliário e, como não poderia deixar de ser, reflete diretamente no valor do m² do bairro, que é o mais elevado da cidade, com preço médio de R$ 13 mil ante uma média de R$ 5,4 mil da cidade.

O termo técnico usado pelo mercado imobiliário para explicar o custo tão alto de viver em Lourdes é "âncora", jargão que serve para se referir aos atrativos do local. "Em toda cidade os bairros mais valorizados são os que são melhor ancorados. Quando falamos de uma cidade que tem praia, o m² mais caro está perto do mar", detalha Flávio Galizzi, vice-presidente da área de corretoras da Câmara do Mercado Imobiliário e do Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais.

Em São Paulo, Galizzi explica, são os bairros próximos ao parque do Ibirapuera os bem "ancorados". No Rio de Janeiro, os que estão na zona sul e, principalmente, na orla da praia, é claro, são os mais caros. Em Belo Horizonte um conjunto de fatores fazem de Lourdes o mais valorizado: a proximidade das praças da Liberdade e Marília de Dirceu, a presença do Minas Tênis Clube e a proximidade com os shoppings Diammond Mall e Pátio Savassi, além é claro, de estar próximo ao centro da cidade e colado na avenida do Contorno.

Rogério Sol/Encontro
Lúcia Henrique e seus 60 anos de Lourdes: "É muito arejado, com muitas árvores. Posso sair de casa a pé para ir na padaria ou na feira" (foto: Rogério Sol/Encontro)


Moradores fiéis

Quem não se incomoda com o aumento da atividade comercial no bairro é Lúcia Henrique, de 91 anos. Moradora de Lourdes há 60 anos, ela presenciou diversas fases. Sua família foi proprietária de um casarão e atualmente vive em um confortável prédio. "Eu gosto muito daqui, pois é muito arejado, com muitas árvores. Posso sair de casa a pé para ir na padaria ou na feira", conta Lúcia, enquanto fazia a feira do dia em um sacolão da rua Felipe dos Santos.

Enquanto Lúcia escolhia os legumes para o almoço, Valdir Oliveira, de 70 anos, caminhava pelas ruas do bairro, após um passeio no Minas Tênis Clube. Valdir foi goleiro do Cruzeiro entre 1959 e 1966 e até a chegada de Raul Plasmann, em 1965, era o reserva imediato de Tonho. Teve a carreira encerrada após um acidente de carro, quando ia para Sete Lagoas de carro disputar uma partida ante o Democrata. Após deixar o futebol, Valdir formou-se em educação física, foi professor, diretor de escola e hoje, aposentado, curte a vida no bairro. "Morava na Floresta, mas gosto muito daqui. Tem ótimas praças e um nível cultural excelente", destaca o ex-goleiro, que fez parte do elenco campeão da Taça Brasil, em 1966.

Rogério Sol/Encontro
Um apartamento no edifício Ulisses, com 700 m², que fica na rua Rio de Janeiro, chegou a ser anunciado por R$ 15 milhões (foto: Rogério Sol/Encontro)
Imóvel milionário

O anúncio de uma cobertura por R$ 15 milhões, no edifício Ulisses, na rua Rio de Janeiro, chocou o mercado no final de 2013. O imóvel de 700 m² teve o valor muito acima da realidade do bairro: R$ 21 mil por m². A bagatela se justificou com os predicados do imóvel, que inclui quatro suítes, sendo que uma tem 70 m², o que é maior que a maioria dos apartamentos à venda na cidade. Também tem piscina privativa, sauna e piso de mármore grego. Outro atrativo do imóvel é a vista definitiva, pois a frente está o colégio Estadual Central, uma obra projetada por Oscar Niemeyer e tombada pelo valor histórico e arquitetônico.

O diretor comercial da construtora Agmar, Jackson Câmara, tenta desmitificar um pouco os preços elevadíssimos e que fogem do padrão do mercado. "O mineiro é muito desconfiado", pondera, apontando que muitas vezes um valor muito alto pode funcionar como marketing, mas é muito difícil de vender.

Jackson explica que é difícil definir o valor do m² por bairro. "Têm regiões do bairro Funcionários que são mais valorizadas que algumas áreas de Lourdes. No Belvedere, por exemplo, que está fora da região central, é possível construir prédios melhores, mais modernos, com quadras de tênis e mais vagas de garagem", compara o diretor da construtora Agmar. De acordo com Jackson, um imóvel padrão da construtora em Lourdes tem cerca de 220 m²  e valor de mercado médio de R$ 3 milhões.

Últimas notícias

Comentários