Chuva e calor aumentam casos de acidentes com aranhas

Especialista explica que nesta época do ano, esses animais saem das tocas para se alimentar e "invadem" as residências, provocando os fatídicos "encontros" com os seres humanos

por Fernanda Nazaré 09/02/2015 17:43

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Tiago Porto/UFBA/Divulgação
A aranha-marrom pode chegar a apenas 3 cm de comprimento, mas possui o veneno mais perigoso entre os aracnídeos que provocam acidentes domésticos nesta época do ano (foto: Tiago Porto/UFBA/Divulgação)
Viúva-negra, aranha-marrom e a armadeira estão entre as cinco aranhas peçonhentas que mais provocam acidentes em residências no mundo e também no Brasil. Em Belo Horizonte, a viúva-marrom, "parente" da viúva-negra (que só é encontrada em regiões litorâneas), somada às outras duas espécies, pode ser facilmente encontrada na área urbana e causar problemas para quem cruza seu caminho.

De acordo com a secretaria de estado de Saúde de Minas Gerais, casos de picadas de aracnídeos tendem a aumentar entre os meses de janeiro e março, período em que esses animais se encontram mais ativos e saem em busca de alimentos.

Segundo a bióloga Maria Nelman Antunes, do aracnidário da Fundação Ezequiel Dias (Funed), existem três aranhas de importância médica pela gravidade do veneno: a armadeira, a marrom e a viúva-marrom. "A mais agressiva é a aranha armadeira. Quando se sente ameaçada, ela levanta as patas da frente e ataca. Muitas vezes, é confundida com a aranha de jardim, mas sua picada é grave e causa muita dor", explica. Comprovando a maior atividade dos aracnídeos no período quente e chuvoso, a especialista conta que, ao ser contatada pela Encontro, tinha acabado de receber, na Funed, uma aranha armadeira encontrada no condomínio Alphaville Lagoa dos Ingleses, em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte.

Com relação ao veneno, a espécie mais perigosa é a aranha-marrom. Medindo apenas 3 cm, a picada não é sentida de imediato. "Após três horas é que se sente um incômodo, como se fosse uma picada de pernilongo. No local forma-se uma bolha, que estoura, e causa uma ferida. O veneno possui enzimas que destroem o tecido, chegando a necrosar a pele. Na corrente sanguínea, pode causar um entupimento renal. Se não tratada de imediato, pode levar à morte", explica a bióloga.

Heitor Antonio/Encontro Digital
(foto: Heitor Antonio/Encontro Digital)


Já a viúva-marrom não é tão venenosa quanto as outras aranhas "caseiras" encontradas em BH, sendo a menos perigosa. Ainda assim, os sintomas da picada são imediatos e podem ser representados por dor e vertigem.

Primeiros-socorros

Em caso de acidentes com aranhas, a pessoa deve ser encaminhada, o mais rápido possível, para um hospital equipado com soro antiaracnídico, antiloxoscélico ou antilatrodectus. O Hospital João XXIII, em BH, é referência no atendimento a pessoas picadas por animais peçonhentos.

Durante os primeiros-socorrros, a vítima da picada deve se manter imóvel. A secretaria de estado de Saúde orienta que o local da picada deve ser lavado apenas com água e sabão. Nunca passar outras substâncias como urina, cachaça, borra de café, pois isso pode ocasionar complicações, incluindo infecções.

Confira alguns cuidados que devem ser tomados:

  • Mantenha limpos quadros, bancos, estantes e outros objetos pendurados ou encostados na parede

  • Tampe buracos em paredes e forros, bem como em rodapés e cantoneiras

  • Evite acumular jornais, revistas, caixas de papelão e outros entulhos, que servem de moradia para as aranhas

  • Não mate lagartixas, aves e sapos, pois são predadores naturais de aranhas

  • Lixeiras devem ser esvaziadas e desinfetadas diariamente

  • Confira sempre roupas e sapatos antes de usá-los

Últimas notícias

Comentários