Que usa anticoagulante deve ter cuidado ao fazer cirurgias

Mesmo uma simples ida ao dentista pode resultar em hemorragia, devido ao uso desse tipo de medicamento

por Da redação com assessorias 12/02/2015 17:18

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Olofdental.com.au/Reprodução
O uso de anticoagulante pode provocar hemorragias sérias mesmo em procedimentos odontológicos (foto: Olofdental.com.au/Reprodução)
Usados para afinar o sangue e prevenir a trombose de artérias e veias, os anticoagulantes são fundamentais na rotina dos pacientes que sofrem de arritmias, de doenças das válvulas do coração e de outras enfermidades hereditárias, como a trombofilia, que é o desenvolvimento de trombose. No pós-operatório de cirurgias no quadril e no joelho, o uso desse tipo de medicamento também é uma prática comum. O que muita gente desconhece é que o uso de anticoagulantes pode provocar hemorragias quando o paciente é submetido a qualquer procedimento médico ou mesmo em tratamentos odontológicos.

De acordo com o cardiologista Ricardo Casalino, consultor da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas, quem toma qualquer tipo de anticoagulante de uso diário deve ser informado sobre o risco de sofrer hemorragias e sempre avisar o cirurgião-dentista antes de iniciar qualquer tratamento odontológico, mesmo que seja uma simples limpeza dos dentes. "A maior parte dos procedimentos não oferece grandes riscos ao paciente, mas extrações e cirurgias de implante, por exemplo, exigem a suspensão do medicamento algum tempo antes para evitar sangramento excessivo".

O médico chama atenção também para outro cuidado fundamental no dia a dia desses pacientes: a higiene bucal. "Quem cuida bem dos dentes, fazendo a higienização regular com escova de cerda macia, preserva a saúde bucal e evita procedimentos mais severos, que oferecem chances de sangramento. Mesmo assim, são várias as situações com algum risco aos pacientes que tomam remédio para afinar o sangue. Desde a profilaxia e a limpeza profunda para eliminação de tártaro e placas, até cirurgias periodontais, extrações, colocações de próteses e implantes, além de biópsias".

Na opinião do especialista, é necessária a maior interação entre o médico e o cirurgião-dentista para avaliar caso a caso, considerando os riscos envolvidos. Se, em determinadas situações, a suspensão do anticoagulante se mostra o melhor caminho a seguir, em outros, os prejuízos para a saúde do paciente desaconselham essa medida, necessitando de uma supervisão mais atenta durante o tratamento odontológico.

"Caberá ao cirurgião-dentista adotar manobras para estancar eventuais sangramentos por meio de pressão, de pontos ou curativo alveolar, entre outros. Além disso, o paciente também poderá contribuir para minimizar os riscos, evitando cuspir, fazer bochechos, ingerir bebidas quentes e fumar nas 24 horas depois do tratamento dentário", alerta Ricardo Casalino.

Últimas notícias

Comentários