Serasa registra uma tentativa de fraude a cada 16 segundos em janeiro

O primeiro lugar no número de golpes se deu na área de telefonia, com mais de 71 mil tentativas de fraude

23/02/2015 16:09

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Danilson Carvalho/CB/D.A Press
(foto: Danilson Carvalho/CB/D.A Press)
Todo cuidado é pouco quando se trata de documentos e informações bancárias. Para se ter uam ideia, o sistema Serasa Experian registrou, em janeiro deste ano, 168.944 tentativas de fraude, ou seja, roubo de identidade, em que dados pessoais são usados por criminosos para firmar negócios ou para obter crédito com a intenção de não honrar os pagamentos. Isso equevale a uma tentativa a cada 15,9 segundos no Brasil.

Entre as principais tentativas de golpe apontadas pelo indicador da Serasa estão a emissão de cartões de crédito, em que o golpista solicita o cartão usando identificação falsa ou roubada.

Além disso, os golpistas também utilizam os dados roubados para financiamento de equipamentos eletrônicos, compra de celulares, abertura de conta em banco, compra de automóveis e abertura de empresas. Em todos os casos, quem arca com a conta é a vítima ou a instituição financeira.

A telefonia foi responsável por 71.478 registros, totalizando 42,3% do total de tentativas de fraude registradas no mês. O setor de serviços (construtoras, imobiliárias, seguradoras e serviços em geral, salões de beleza, pacotes turísticos) teve 47.356 registros, o que equivale a 28% do total. O setor bancário foi o terceiro da lista, com 34.826 tentativas, 20,6% do total. O segmento varejo teve 12.251 tentativas de fraude, registrando 7,3% das investidas contra o consumidor.

Segundo a Serasa Experian, é comum que pessoas forneçam dados pessoais em cadastros na internet sem verificar a idoneidade e a segurança dos sites. "Além disso, os golpistas ainda costumam comprar telefone para ter um endereço e comprovar residência, por meio de correspondência, e, assim, abrir contas em bancos para pegar talões de cheque, pedir cartões de crédito e fazer empréstimos bancários em nome de outras pessoas", diz a entidade.

Para evitar golpes, a Serasa orienta as empresas a pedir sempre dois documentos originais (como RG, CPF, Carteira de Habilitação) e verificar inconsistências nos documentos apresentados.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários