Conhece a "Disney das armas"?

Na Flórida, Estados Unidos, além das atrações do famoso parque infantil, agora, existe um espaço dedicado àqueles que gostam de atirar e que queiram até ter a sensação de matar 'zumbis'

09/03/2015 11:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Machine Gun America/Divulgação
Quem vai à Flórida em busca de parques temáticos vai encontrar algo bem além da Disney: o Machine Gun America é dedicado a quem curte dar tiros (foto: Machine Gun America/Divulgação)
Parece mentira, mas não é. Na cidade de Kissimmee, na Flórida (EUA), em meados de fevereiro deste ano, foi inaugurada uma atração bem diferente do que se espera para a região, que abriga o complexo de parques da Disney: para atender à cultura do público norte-americano foi aberto o primeiro parque temático voltado para as armas – considerado o único desse estilo no mundo.

O Machine Gun America oferece aos visitantes experiências com diversas opções de armas, automáticas e semi-automáticas, além de níveis variados de dificuldade. Entre as atrações, existem simuladores de treinamento militar e pistas de tiro com temas variados, do espião 007 ao típico faroeste, passando por abate de zumbis e a caçada ao Osama Bin Laden.

De acordo com Wes Doss, diretor de segurança e treinamento do parque, em todas as fases da prática de tiro, existem medidas de segurança. "Um oficial treinado e certificado acompanha cada turista, supervisionando-o e decidindo qual tipo de armamento ele vai utilizar", explica. Além disso, o parque, que pode ser frequentado por quem nunca disparou na vida, é vetado para menores de 13 anos e não permite o consumo de bebidas alcóolicas em seu interior. Também não é permitido levar a própria arma de fogo.

O presidente da Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições, Salesio Nuhs, acha que esse empreendimento inovador reacende o debate sobre a cultura da sociedade americana. "É a prova de que os americanos agem de maneira natural quando o tema é o direito do cidadão de manusear uma arma. Este tipo de iniciativa atua para derrubar dogmas com relação ao acesso controlado e seguro às armas de fogo", afirma.

Grupo Protect BH/Divulgação
Em BH, quem gosta de atirar pode praticar tiro em escolas especializadas, como a Protect, que está longe de ser um parque temático (foto: Grupo Protect BH/Divulgação)


Exemplo brasileiro

Em Belo Horizonte, os aficcionados por armas também podem praticar tiro esportivo nas escolas especializada que existem na cidade. Mas, claro que elas não se comparam ao parque americano, afinal, a cultura de armamento por aqui não é tão deflagrada – pelo menos entre os cidadãos de bem. Segundo a ONG Viva Rio, existem cerca de 17 milhões de armas em nosso país, e apenas 49% delas são legalizadas.

"O problema é que o aprendicado do tiro esbarra na burocracia do governo para aquisição de arma de fogo. Infelizmente as pessoas acabam desistindo de continuar com o treino do armamento", explica Êmerson Nicolau, do Grupo Protect, de BH. Segundo ele, a empresa possui um curso básico para iniciantes, na modalidade esportiva, que acontece aos sábados, e está sempre lotado. São 40 pessoas, a maioria entre 20 e 30 anos, que procuram esse tipo de "diversão" toda semana.

Com relação ao parque Machine Gun America, Êmerson acredita que ele vai ajudar ainda mais na educação sobre armamento e na imagem dese tipo de curso no mundo. "Eu acho que vai melhorar bem o comércio de arma e a visibilidade para a prática do tiro. Afinal, quanto mais se restringe o acesso à arma, mais as pessoas buscam outra alternativa, o que, muita vezes, acaba no comércio ilegal", completa.

Últimas notícias

Comentários