Cães entendem nossas emoções?

Segundo estudo austríaco, os animais podem perceber a diferença entre as expressões faciais dos humanos

16/03/2015 13:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Segundo a pesquisa feita na Áustria, os cães teriam capacidade de reconhecer as diferentes expressões humanas, como dor, raiva e alegria (foto: Pixabay)
Quando você está triste, seu cão muda de comportamento? Pois é, segundo uma pesquisa da Universidade de Medicina Veterinária de Viena, na Àustria, os cachorros são capazes de reconhecer algumas expressões faciais dos humanos, mesmo que não sejam de seus donos. O único problema é que ainda não se sabe se os animais conseguem entender o significado dessas emoções.

O estudo foi publicado na revista Current Biology, publicação americana especializada em artigos científicos. De acordo com Ludwig Huber, diretor do departamento de pesquisa cognitiva e um dos responsáveis pela pesquisa, muitos donos de cães já perceberam essa capacidade dos fiéis companheiros. "Mas, permanece a questão sobre o que os cachorros conseguem compreender a partir da comunicação com as pessoas. Nós nos comunicamos por vários canais e usando vários sentidos, e os cachorros também o fazem. Pode ser que eles não percebam o estado de espírito das pessoas visualmente, mas de outra forma", explica o cientista, em entrevista ao canal de televisão alemão Deutsche Welle.

Como o estudo queria mostrar se os cães conseguem distinguir os diferentes estados de espírito de um humano, foram usadas imagens estáticas de pessoas, para que fossem excluídos fatores como cheiro e movimento. As fotos foram selecionadas de um banco de dados de um laboratório que trabalha com a psicologia humana, e os animais tinham de escolher entre a imagem da mesma pessoa com duas feições diferentes, por exemplo, alegre e raivosa. Foram usados rostos de 15 pessoas no teste.

Clever Dog Lab Vienna/Divulgação
Os animais tinham de escolher entre duas imagens da mesma pessoa, com expressões faciais diferentes, e metade do rosto tampada (foto: Clever Dog Lab Vienna/Divulgação)


"A tarefa dos cães era aprender, através de tentativa e erro, diante de qual expressão eles receberiam comida. Para metade dos cães, associamos expressões faciais alegres à comida. Para a outra metade, expressões zangadas. Os cães deveriam tocar com o focinho os respectivos rostos numa tela, e aí ganhariam comida. Os animais tinham que descobrir qual expressão facial lhes dava comida e quase todos conseguiram", conta Ludwig Huber.

O pesquisador lembra que os cachorros usados no estudo foram cedidos por famílias que vivem na região de Viena, e tinham raças e sexos distintos, mas todos estavam com uma ótima condição física e mental.

Os animais só podiam analisar metade dos rostos que lhes foram apresentados: um grupo ficou com a região dos olhos e o outro, com a da boca. Assim, eles tinham de completar os rostos para entender a expressão apresentada pelo humano. "Eles só conseguem fazê-lo se já souberem alguma coisa sobre o rosto e sobre expressões faciais. Mas, isso não significa necessariamente que os cães interpretam as expressões faciais como emoções. Supomos que eles compreendam o significado das emoções, mas o experimento não comprovou isso", completa o cientista à Deutsche Welle.

Últimas notícias

Comentários