Aquífero Guarani: solução para a crise hídrica?

Conheça um dos maiores reservatórios subterrâneos de água doce do planeta, que possui 70% de seu volume localizado no Brasil e que pode ser a solução para a atual falta de água. Especialista afirma que água é potável e que sua exploração é possível

por Marcelo Fraga 23/03/2015 09:04

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
YouTube/Climatempo/Reprodução
Poucas pessoas conhecem o aquífero Guarani, que possui nada menos que 55 mil km³ de águas subterrâneas, o que poderia abastecer todo o Brasil por 2,5 mil anos (foto: YouTube/Climatempo/Reprodução)
Desde o início de 2014, um problema tem sido motivo de muita preocupação para a população e para as autoridades brasileiras: a água, ou melhor, a escassez deste precioso recurso natural. Com os índices de chuva abaixo da média, os reservatórios que abastecem as cidades chegaram a níveis críticos, tornando real o risco de racionamento – que chegou a ocorrer em grandes cidades, como São Paulo.

A crise hídrica trouxe à tona debates sobre o uso consciente dos recursos naturais, a criação de novos reservatórios e, até mesmo, a utilização de outras reservas de água existentes no país, já que o Brasil possui alguns dos maiores rios do mundo. O que pouca gente sabe é que existe uma grande quantidade de água subterrânea, portanto, invisível para a população brasileira, e que pode ser uma das soluções para o abastecimento de boa parte do país.

Uma das maiores e mais importantes reservas subterrâneas de água doce no Brasil, é o aquífero Guarani, que ocupa uma área de 1,2 milhão de km², abrangendo os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais, além de boa parte dos territórios do Paraguai, Uruguai e Argentina. A estimativa é que o aquífero tenha capacidade para armazenar, aproximadamente, 55 mil km³ de água – isso seria suficiente para abastecer a população brasileira por 2,5 mil anos.

Heitor Antonio/Encontro Digital
Clique na imagem para ampliar a infografia sobre o aquífero Guarani (foto: Heitor Antonio/Encontro Digital)


Apesar de ser considerado bastante profundo – chegando a até 1,8 mil metros de profundidade, em alguns locais –, o aquífero Guarani é uma solução viável, de acordo com o geólogo Cláudio Oliveira, da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas. "Já existem estudos e tecnologia suficientes para explorá-lo, bem como para uso de outras reservas subterrâneas existentes no Brasil. Neste momento de crise hídrica, é necessário que os órgãos públicos voltem as atenções para a exploração dessas águas", afirma o especialista.

O Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), por meio de sua assessoria de imprensa, alega que os levantamentos realizados pelo órgão, que pertence ao executivo estadual, indicaram que os custos para explorar o aquífero Guarani, em Minas Gerais, seriam muito altos, portanto, a utilização da reserva subterrânea está descartada como solução para a atual crise hídrica.

Últimas notícias

Comentários