Zoo de BH ganha novo filhote

Desta vez, o zoológico festeja a chegada do filhote de gato-palheiro

23/03/2015 11:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Suziane Fonseca/FZB-BH/Divulgação
O filhote de gato-palheiro passa a ser o quarto da espécie no zoológico de Belo Horizonte (foto: Suziane Fonseca/FZB-BH/Divulgação)
Ele chega a ser confundido com o gato doméstico em decorrência de seu pequeno porte e também devido a alguns comportamentos sociais. No entanto, o gato-palheiro (Leopardus colocolo) é um animal raro que, como a maioria dos felinos, está ameaçado de extinção. A boa notícia é que exatamente há um mês nasceu no jardim zoológico da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte (FZB-BH) um filhote da espécie. Com isso, o zoo de BH pode comemorar a reprodução em cativeiro de mais uma espécie que consta na lista dos animais em risco de extinção.

Os pais do filhote são Sofia e Guilherme, que chegaram à instituição, respectivamente, em novembro de 2012 e em maio de 2014. A fêmea veio da cidade de São João da Lagoa, em Minas Gerais, por meio do Ibama, enquanto o macho é proveniente da Fundação Parque Zoológico de São Paulo. Além do casal, a FZB-BH possui outro macho, com idade estimada em três meses, que foi enviado pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama, localizado na Universidade Federal do Mato Grosso.

Como a espécie é bastante discreta e arredia, a orientação dos técnicos do jardim zoológico é a de se manter a mãe e o filhote em um ambiente isolado e com pouca interferência de circulação de pessoas. Nesse sentido, o recinto está cercado por uma tela tipo sombrite para garantir a tranquilidade dos dois.


Características


O gato-palheiro possui como principais características: o rosto largo e as orelhas pontiagudas. Cada animal pesa aproximadamente 3,5 Kg e possui garras retráteis que são grandes, compactadas, afiadas e fortemente curvadas. Mas, a característica mais marcante da espécie diz respeito à coloração do pelo das patas que apresentam listras escuras e largas. No restante do corpo, essa coloração varia desde o cinza amarelado ao cinza escuro ou marrom-avermelhado (podendo ou não ter manchas).

Segundo o estudo da bióloga Caroline Salvador Aarão, das 37 espécies de felinos existentes em todo o planeta, apenas a do gato doméstico (Felis catus) não está ameaçada de extinção. Isso significa que a conservação dos felinos selvagens é importante para o controle e manutenção da biodiversidade. Ainda de acordo com o estudo, dos pequenos felinos, o gato-palheiro é considerado o mais raro e o menos estudado.

(com assessoria da FZB-BH)

Últimas notícias

Comentários