Compartilhar alicates de unha e outros acessórios pode causar doenças

Segundo especialista, o uso coletivo de objetos, como ocorre em salões de beleza, é um comportamento que traz riscos à saúde, podendo transmitir até o vírus da Aids

por Marcelo Fraga 10/04/2015 16:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Muitas mulheres acham seguro usar pincéis de maquiagem nos salões de beleza, porém, o melhor, segundo a especialista, é levar seus próprios acessórios (foto: Pixabay)

saiba mais

A australiana Jo Gilchrist não imaginava que o simples fato de pegar emprestado um pincel de maquiagem de uma amiga mudaria sua vida pra sempre. Ao utilizar o objeto, a jovem, de 27 anos, contraiu a superbactéria Staphulococcus aureus, que lhe causou uma grave infecção, fazendo-a perder o controle do intestino e da bexiga e utilizar uma cadeira de rodas. O caso, que ocorreu na cidade de Brisbane, na Austrália, acende um alerta sobre o compartilhamento de objetos pessoais.

Muito comum, o hábito de emprestar acessórios como alicates de unha, batons e itens de maquiagem pode provocar sérios danos à saúde. De acordo com a infectologista Lucinéia Carvalhais, da Sociedade Mineira de Infectologia, itens de uso pessoal jamais devem ser compartilhados: "O ideal é que, mesmo nos salões de beleza, as pessoas levem seus próprios objetos, pois a utilização de um mesmo acessório, por várias pessoas, pode transmitir doenças graves". A especialista diz, ainda, que, entre os vírus mais comuns que podem ser transmitidos, nesses casos, estão o da hepatite C, da sífilis e até mesmo o da Aids.

Com relação ao pincel de maquiagem usado pela australiana Jo Gilchrist, a bactéria estava presente no objeto porque sua amiga teve uma infecção no rosto. O mesmo pode ocorrer com alicates e cortadores de unha que, segundo a infectologista Lucinéria Carvalhais, podem ser contaminados com qualquer vírus, bactérias ou fungos presentes no sangue ou nas mucosas.

A única forma segura de evitar problemas com esses objetos é a esterilização, que deve ser feita em equipamentos específicos para este fim, e por profissionais treinados. "Métodos caseiros, como a limpeza utilizando álcool ou acetona não são seguros", alerta a médica.

Últimas notícias

Comentários