Sabia que a água ajuda contra ataque cardíaco?

Especialista explica como esse simples hábito - essencial para nossa sobrevivência - pode fazer toda a diferença na prevenção de problemas no coração

por Da redação com assessorias 15/04/2015 08:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Pesquisa americana mostrou que mulheres que consumem cinco copos de 240ml de água por dia, podem reduzir em 35% o risco de eventos cardiovasculares graves (foto: Pixabay)
Se você está com sede, um copo de água é, sim, a melhor coisa para você beber. De acordo com o médico Fábio Cardoso, especialista em medicina preventiva e longevidade, quanto mais copos de água você bebe, menor é o risco de você ter um infarto cardíaco fatal ou mesmo desenvolver doença cardiovascular. E quanto mais você opta por ingerir outros líquidos não-saudáveis, como café, refrigerantes, sucos industrializados (adoçados ou não), menos "proteção" terá.

Este dado foi demonstrado num estudo da Universidade da Califórnia, em que epidemiologistas analisaram os dados de mais de 20 mil pessoas que eram adventistas do sétimo dia. A opção por essa religião tem uma explicação. Como mostra Fábio Cardoso, os adventistas são cristãos que possuem um estilo de vida saudável se comparados com a sociedade ocidental moderna. "Eles não fumam, não consumem bebidas alcoólicas e tentam levar suas vidas o mais saudável possível. Foi por esses preceitos que os epidemiologistas se interessaram em acompanhá-los", explica o médico.

Os pesquisadores monitoraram 12.017 mulheres e 8.280 homens, todos adventistas, por um período de seis anos. Como pré-requisito, todos os participantes estavam saudáveis, sem doenças no momento em que aceitaram participar do estudo.

Desde a entrevista inicial, um dado chamou a atenção dos pesquisadores: a grande quantidade de água que eles consumiam diariamente. Entre os homens, o consumo era de mais de cinco copos de 240ml de água, o que reduzia em 40% o risco de eventos cardiovasculares graves. Já entre as mulheres, apesar do consumo dos mesmos cinco copos, a redução foi de 35%.

Com isso, os pesquisadores procuraram outras relações para explicar a redução do risco de problemas cardíacos, como idade, pressão arterial, índice de massa corporal, exercício físico, consumo de castanhas (oleaginosas) e grãos integrais na dieta. Independente de todos esses fatores, quanto mais água eles consumiam, menores os riscos de infartos fatais ou doenças cardiovasculares.

Com relação a outros líquidos, como café, chás, refrigerantes ou sucos adoçados, o efeito "protetor" não se mostrou presente. E pior, o consumo de refrigerantes e sucos industrializados adoçados, na verdade, acabou piorando os riscos de doenças cardíacas.

De acordo com os pesquisadores, a "proteção" gerada pela água se dá porque o sangue fica "menos grosso", o que reduz a chance de surgirem trombose – obstrução aguda nas artérias –, fator de risco para os infartos.

Últimas notícias

Comentários