O primeiro chinês "local"

Chery apresenta seu primeiro carro produzido no Brasil, que chega ao mercado com melhorias de estilo e desempenho para brigar em um dos mais disputados segmentos, o dos médios compactos

por Fábio Doyle* 15/04/2015 16:33

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Chery/Divulgação
Montadora chinesa Chery apresenta ao mercado brasileiro o novo Celer, totalmente fabricado por aqui (foto: Chery/Divulgação)
Tuiuti (SP) - Quatro anos depois de lançar a pedra fundamental de sua fábrica em Jacareí (SP), a chinesa Chery lança o primeiro modelo da marca fabricado no País, o Novo Celer. Disponível nas versões hatch e sedã, o modelo chega em quatro versões de acabamento, equipado com motor 1.5 16V Flex e potência de 113 cv com etanol e 109 cv com gasolina, informou o fabricante.

Na comparação com o Celer importado, um carro de 2012, o nacional passou por inovações de estilo na dianteira, traseira e rodas. As atualizações o deixaram com a impressão de mais largo, graças aos novos para-choques, grade frontal e conjunto ótico elíptico dianteiro. Já na traseira, as lanternas têm lâmpadas em LED.

Uma das novidades é a estreia da versão Act para o hatch e o sedã, com itens exclusivos como faróis de neblina, alarme antifurto na chave, sistema Chery Media System (áudio AM/FM, MP3+USB com CD Player e seis alto-falantes) e rodas de liga leve.

Nas versões de entrada o Celer traz em sua lista de itens de série o ar-condicionado, airbag duplo, computador de bordo, espelhos retrovisores com ajuste elétrico, direção hidráulica, faróis com ajuste elétrico, freios ABS com EBD (distribuição eletrônica de frenagem), sensor de estacionamento traseiro, travas elétricas, vidros elétricos nas quatro portas, entre outros.

Chery/Divulgação
(foto: Chery/Divulgação)


Por dentro, as mudanças começam pelo painel, com novo desenho. O computador de bordo está presente, mas as informações que oferece estão limitadas ao odômetro parcial, hora e consumo instantâneo de combustível em litros por 100 quilômetros (padrão europeu). É incompreensível que o sistema não informe o consumo médio. Segundo Luciano Resner, diretor de qualidade da Chery, o consumo do Novo Celer é igual ao do antecessor. Em testes de laboratório os resultados com gasolina foram de 11,6 km/l em uso urbano e 16 km/l na estrada. Com etanol esses números foram de 8 km/l e 10,9 km/l respectivamente, informou.

O console central abriga o Chery MedianSystem (Rádio AM/FM, CD Player, MP3 e entrada USB), e controles de ar-condicionado, acionamento dos faróis e abertura do porta-malas, Os bancos são em tecido e adequados ao segmento de compactos médios sem grandes arrojos de sofisticação. O espaço interno está de acordo com a proposta do Celer e para quem vai no banco traseiro não há aperto. No aspecto de segurança o sistema Isofix para as cadeirinhas infantis está presente, mas falta encosto de cabeça para o passageiro do meio assim como cinto de segurança de três ponta, itens essenciais, mesmo levando-se em conta que com três adultos no banco de trás o nível de conforto não é dos melhores. O Celer tem entre eixos de 2.527 mm, altura de 1.480 mm e largura de 1.686 mm. O hatchback tem 4.188 mm de comprimento, com porta malas de 380 litros, e o sedã mede 4.333 mm, com capacidade para 450 litros no compartimento de bagagens. O fabricante informa que no caso do hatchback é o maior porta-malas do segmento.

Chery/Divulgação
(foto: Chery/Divulgação)


A transmissão manual de cinco velocidades é a única oferecida (o curso da alavanca foi reduzido em relação à versão anterior) e a velocidade máxima anunciada é de 175 km/h. As rodas são de 15 polegadas de liga leve na versão Act, e aço na versão de entrada, com pneus 185/60. O Novo Celer conta com freios a disco ventilados na dianteira e tambor na traseira, com sistema antiblocante ABS e distribuição eletrônica de frenagem (EBD). Completam os itens de segurança airbag duplo e barra de segurança na arquitetura. O modelo nacional do Celer já foi enviado para a avaliação de segurança do LatinNCAP e a expectativa é que receba 3 ou quatro estrelas, informou Luís Curi, vice-presidente da Chery Brasil.

O Novo Celer chega ao mercado com preço a partir de R$ 38.990 (hatch) e R$ R$ 39.990 (sedã). Já as versões Act custam R$ 40.990 (hatch) e R$ 41.990 (sedã). A garantia é de três anos, informou a montadora.

A produção em Jacareí do Celer, que chega com índice de nacionalização de 35%, deve atingir 10 mil carros em 2015, prevê Filipe Pereira, diretor de vendas da marca chinesa no Brasil. A capacidade da fábrica brasileira é de 150 mil carros por ano.

Chery/Divulgação
(foto: Chery/Divulgação)


O fabricante chinês demonstra otimismo em seus resultados no Brasil, mesmo com o mercado em queda. As vendas de automóveis em 2014 (3,576 milhões de unidades) caíram 7% em comparação a 2013 (3,325 milhões), lembrou Filipe Pereira diretor de vendas da Chery. Nesse mesmo período as vendas da marca chinesa cresceram 18%, passando de 8.065 unidades para 9.547, disse. Para este ano, a expectativa de Pereira é de uma queda geral de 12% e de crescimento superior a 25% para a Chery. O grupo tem hoje 72 pontos de vendas no País e deverá abrir mais cinco nos próximos dois meses.

O segmento de compactos médios com motor acima de 1.0 litros é a zona de combate do Novo Celer no mercado brasileiro. Os concorrentes diretos, na visão do fabricante, são o Hyundai HB20, Chevrolet Onix, Volkswagen Fox, Renault Sandero e Fiat Novo Palio.

* Viajou a convite da Chery do Brasil

Últimas notícias

Comentários