Parque Telê Santana será cedido à prática de rugby

O espaço que fica na região de Venda Nova, em Belo Horizonte, estava em péssimas condições, segundo os moradores, que querem também o acesso ao parque após cessão de uso à entidade esportiva

22/04/2015 08:37

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
CMBH/Divulgação
Parque Telê Santana, que fica na região de Venda Nova, em BH, está em estado precário, segundo moradores, e para resolver o problema, PBH vai passar sua administração para uma associação de rugby (foto: CMBH/Divulgação)
Em reunião na Comissão de Meio Ambiente e Política Urbana da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH), representantes da prefeitura e da comunidade vizinha ao parque Telê Santana, que fica na avenida Augusto dos Anjos, no bairro Rio Branco, região de Venda Nova, discutiram o uso do espaço, que, segundo os moradores, está em estado precário e é costumeiramente utilizado por consumidores de drogas e para descarte ilegal de entulho. A quadra de futebol e o vestiário estão deteriorados, inibindo o uso pela comunidade. Não há segurança, guaritas ou cerca de proteção em toda sua extensão.

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) informa que o parque receberá obras de requalificação no valor de R$ 1 milhão e, depois de pronto, será cedido para uma associação de jogadores de rugby – esporte inglês ainda pouco praticado no Brasil. O vereador Doutor Sandro (Pros), que pediu a reunião, reivindicou a participação da comunidade na definição do uso do espaço e cobrou garantias de que a entidade esportiva que receberá a cessão de uso do parque não cerceie a sua utilização pela comunidade.

Por sua vez, o vereador Doutor Nilton também questiona a cessão do espaço: "A comunidade vai querer usar a quadra no domingo. A associação também. Quem terá o direito de uso?". O parlamentar defende a participação da comunidade na destinação do espaço e vislumbra possíveis dificuldades decorrentes da intenção da prefeitura de conjugar os interesses privados da entidade esportiva com as demandas da comunidade pelo uso do bem público.

De acordo com a PBH, o parque Telê Santana foi implantado em 2008 como uma realização do Orçamento Participativo Digital. E nessa época, o local recebeu investimentos de cerca de R$ 800 mil para a construção de instalações sanitárias, vestiários masculinos e femininos e campo de futebol com arquibancada. No entanto, o resultado das obras não atendeu às expectativas da comunidade.

Representante da Comissão de Acompanhamento e Fiscalização da Execução do Orçamento Participativo (Comforça) e líder comunitário, Deraldo Costa, afirma que, atualmente, a área não pode nem mesmo ser considerada um parque, dada a falta de estrutura do local. "Ganhamos um parque no Orçamento Participativo Digital, mas não levamos", afirma o morador.

Novo projeto

De acordo com o secretário municipal adjunto de Esportes, Fernando Marcos Sampaio Blaser, o projeto de requalificação do parque Telê Santana prevê uma quadra com grama sintética, playground, pista de caminhada, vestiários, entre outros equipamentos. A prefeitura afirma que o dinheiro para a obra, proveniente de emenda parlamentar do deputado federal Luis Tibé (PTdoB) já está disponível.

Segundo Fernando Blaser, a entidade esportiva de rugby terá que oferecer contrapartidas pelo direito de uso do espaço. Ela será responsável pela manutenção do parque, deverá permitir o uso da quadra pela comunidade e oferecer aulas de rugby, ajudando a popularizar o esporte. O secretário afirmou que a PBH não conta com recursos para manter a estrutura após a reforma e que a cessão de uso é a melhor alternativa encontrada. Ele também se prontificou a apresentar detalhes do projeto aos líderes comunitários e demais moradores da região em uma futura reunião na regional Venda Nova.

(com assessoria da CMBH)

Últimas notícias

Comentários