Será que um tornado poderia atingir Minas Gerais?

Depois que esse fenômeno arrasou a cidade de Xanxerê, em Santa Catarina, as atenções se voltaram para os eventos climáticos destruidores que, em princípio, não são comuns no Brasil

por Vinícius Andrade 22/04/2015 17:28

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Julio Cavalheiro/Secom/Divulgação
O tornado que chegou a ter ventos de até 300 km/h, segundo o Inmet, deixou um rastro de destruição na cidade catarinense de Xanxerê (foto: Julio Cavalheiro/Secom/Divulgação)
Na última segunda-feira, dia 20 de abril, os moradores de Xanxerê, que fica na região oeste de Santa Catarina, foram pegos de surpresa por um tornado que devastou a cidade. Conforme a Polícia Militar, duas pessoas morreram e cerca de 120 foram levadas para os hospitais. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) divulgou que o vento pode ter chegado a 330 km/h em seu centro. Fenômenos como esse não são comuns no Brasil, mas, quando acontecem, normalmente causam grande destruição. A tragédia mostrou que o país não está imune às forças da natureza. Será que em Minas Gerais existe possibilidade dessas ocorrências climáticas?

Segundo o meteorologista Jorge Moreira, do Inmet, um fenômeno conhecido como "nuvem funil" já foi visto em terras mineiras, mas, um tornado como o que atingiu o sul do Brasil nunca foi registrado. Ele considera improvável, porém, não descarta a possibilidade. Uma nuvem funil é formada com as mesmas características de um tornado, entretanto, não chega a tocar o solo. "Para acontecer um fenômeno como o de Santa Catarina, é preciso que uma massa de ar frio chegue com intensidade, dentro de um cenário de instabilidade atmosférica, somado com uma massa de ar quente úmida", explica Jorge. Ainda segundo o especialista, o oeste do Paraná, o noroeste do Rio Grande do Sul, o oeste de Santa Catarina e a divisa dos estados de Minas Gerais e São Paulo são as regiões brasileiras mais propensas a receber um tornado.

O vendaval que atingiu Xanxerê poderia ter sido alertado por um radar meteorológico. No entanto, o único equipamento que existe em Santa Catarina está quebrado desde janeiro, e, mesmo assim, não cobre o oeste do estado. "Não há como evitar um fenômeno desses. Mesmo avisando, não tem como evitar os danos. O tornado possui uma característica que você não consegue ver do satélite. No Brasil, existe a necessidade maior de se preparar os serviços de atendimento de emergência. Nenhuma cidade brasileira estaria preparada para um fenômeno desses", afirma o meteorologista Jorge Moreira.

De olho no clima

Nos Estados Unidos, existem os famosos caçadores de tornado. Especialistas andam em carros protegidos com equipamentos especiais em busca das tempestades para identificar o local em que os túneis de vento vão tocar o solo. A partir daí, passam a informação aos serviços de emergência.

A previsão do tempo pode até diagnosticar uma região provável de ocorrência, mas não é capaz de definir o local exato. As regiões norte-americanas com maior probabilidade de ocorrência desse fenômeno oferecem abrigos subterrâneos para proteger a população.

Últimas notícias

Comentários