Segundo especialista, é melhor enviar a declaração incompleta do que perder prazo

Alternativa é para quem não está de posse da documentação completa, ainda não enviou a declaração e pode ganhar tempo para juntar os documentos ou corrigir possíveis falhas

27/04/2015 11:33

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
A poucos dias para o fim do período de entrega da Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2015, muitos contribuintes começam a ficar em pânico, pois ainda não entregaram o documento à Receita Federal. Com isso, os últimos dias para a entrega costumam ser conturbados, e muitas pessoas culpam a falta de documentação e o congestionamento no sistema como entraves para o envio.

O prazo final para a entrega do IRPF 2015 é dia 30, à 0h, portanto, é preciso correr. "Se deixar para o último dia, o contribuinte irá enfrentar o sistema congestionado ou mesmo enfrentar outros problemas e, caso não consiga entregar a declaração, terá que pagar a multa por atraso, que tem o valor mínimo de R$ 165,74, e máximo de 20% sobre o imposto devido, mais juros de mora de 1% ao mês", explica Richard Domingos, diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil.

Para os contribuintes que não conseguirem todos os documentos necessários, Domingos sugere que uma alternativa: a entrega do material incompleto e depois a realização de uma declaração retificadora. "Diferente do que muitos pensam, a entrega desta forma não significa que a declaração irá automaticamente para a malha fina. Porém, depois da entrega deverão fazer o material com muito mais cuidado, pois, as chances serão maiores", diz o contador.

A declaração retificadora também é válida em caso de problemas na declaração já entregue pelo contribuinte. Nela os erros podem ser corrigidos. "O prazo para retificar a declaração é de cinco anos, mas é importante que o contribuinte realize o processo rapidamente, para não correr o risco de ficar na malha fina", completa Richard Domingos.

Um dos cuidados que deve ser tomado é entregar a declaração retificadora no mesmo modelo (completo ou simplificado) utilizado para a declaração original. É fundamental que o contribuinte possua o número do recibo de entrega da declaração anterior, para a realização do processo.

Segundo o especialista, o procedimento para a realização de uma declaração retificadora é o mesmo que para uma declaração comum, a diferença é que no campo Identificação do Contribuinte, deve ser informado que a declaração é retificadora.

Últimas notícias

Comentários