Problema na tireoide pode afetar a fertilidade feminina e a gravidez

Segundo estudo publicado num jornal científico americano, 2,3% das mulheres com hipertireoidismo não conseguem engravidar

por Da redação com assessorias 28/04/2015 17:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Assumpto Iaconelli Junior: "O problema é que o hipotireoidismo costuma surgir durante a idade reprodutiva da mulher e, quando não tratado, pode causar infertilidade e abortamentos" (foto: Pixabay)
Recente estudo publicado no jornal americano The Obstetrician & Gynaecologist, especializado em ginecologia e obstetrícia, revela a importância de se realizar exame de tireoide quando a paciente está enfrentando dificuldade para engravidar ou vem passando por abortos prematuros. Isto porque 2,3% das mulheres que apresentam infertilidade têm hipertireoidismo, contra 1,5% da população em geral. Essa condição também está associada à irregularidade menstrual. De acordo com Amanda Jeffreys, pesquisadora do SouthMed Hospital em Bristol, Inglaterra, quando o funcionamento da tireoide apresenta anormalidades pode interferir na saúde reprodutiva feminina – resultando em menores taxas de concepção, risco aumentado de hemorragias e problemas durante a gravidez e o parto.

saiba mais

Embora o estudo não tenha apresentado provas de causa-efeito, o médico norte-americano Tomer Singer afirma não estar surpreso com as descobertas, já que, por décadas, vem detectando uma relação significativa entre hiper e hipotireoidismo com a infertilidade. Atuando no Lenox Hill Hospital, em Nova York, o especialista afirma que já incluiu o diagnóstico de doenças da tireoide para pacientes em busca de tratamento para engravidar.

Na opinião de Assumpto Iaconelli Junior, especialista em Medicina Reprodutiva do Fertility Medical Group, tanto o hiper quanto o hipotireoidismo podem desencadear problemas de fertilidade, embora seja possível engravidar mesmo tendo essas doenças. Uma vez tratadas, a fertilidade se restabelece rapidamente. "O problema é que o hipotireoidismo costuma surgir durante a idade reprodutiva da mulher e, quando não tratado, pode causar infertilidade e abortamentos. Outra causa de infertilidade em pacientes com doença da tireoide é a falência ovariana, embora menos comum. Assim com a Doença de Graves e a de Hashimoto, é autoimune e causada pelas proteínas e células brancas no sangue que atacam o ovário da paciente. Nesse sentido, há uma diminuição relevante do tamanho dos ovários, problemas de ovulação, menopausa prematura e infertilidade", explica o médico.

Aborto x tireoide

Distúrbios da tireoide também são comuns em mulheres durante o período reprodutivo. Além de interferir na fisiologia da reprodução humana, esse tipo de disfunção pode afetar adversamente a evolução da gravidez. "Depois da implantação, a manutenção da gravidez depende de múltiplos eventos do sistema endócrino que eventualmente contribuirão com o sucesso do crescimento e do desenvolvimento do feto. Entre 8% e 12% de todos os abortos espontâneos resultam de fatores endócrinos", diz Iaconelli Junior.

A doença da tireoide está presente em 4% das jovens e até 15% estão em risco, já que têm anticorpos positivos de tireoide. Segundo o especialista, sabe-se que há uma correlação importante entre imunidade da tireoide, por um lado, e infertilidade, aborto espontâneo e problemas durante e depois do parto. "Até mesmo um hipotireoidismo discreto pode aumentar as taxas de abortamentos e perda fetal. Em resumo, mulheres grávidas com hipotireoidismo não tratado têm risco aumentado para complicações durante a gravidez, especialmente pré-eclâmpsia, mortalidade perinatal e abortamento", diz o médico.

Últimas notícias

Comentários