Você sabia que seu corpo não lhe pertence?

Pois é, as células que correspondem ao corpo humano são apenas 10% de todas as que existem em nosso organismo. Os outros 90% são micro-organismos, especialmente bactérias

por Vinícius Andrade 05/05/2015 13:27

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Poucas pessoas sabem que das 110 trilhões de células que compõem nosso organismo, apenas 10 trilhões são realmente nossas (foto: Pixabay)
Você não é você. A definição não faz parte de uma teoria religiosa. Trata-se de uma constatação biológica. Muitas pessoas não sabem, mas, das 110 trilhões de células que compõem o corpo humano, apenas 10 trilhões são nossas. As outras 100 trilhões correspondem a micro-organismos que "invadem" nosso organismo. Portanto, somos apenas 10% de nós mesmos. Não precisa se preocupar. Se por um lado o corpo humano fornece o ambiente adequado, por outro, esses "inquilinos" digerem nossa comida e nos protegem de doenças. É uma troca de favores.

A colonização desses micro-organismos começa assim que saímos da barriga da mãe. Os alimentos e o próprio ambiente são as principais fontes das quais adquirimos os "inqulinos". Cada parte do corpo possui receptores, que são lugares específicos para alojá-los. Os locais mais preferidos desses "intrusos" são a pele, trato respiratório superior e inferior, trato intestinal e mucosas. Na verdade, só somos capazes de sobreviver por causa desses agentes externos, já que eles estimulam nossa defesa orgânica.

Heitor Antonio/Encontro Digital
Clique para ampliar e conferir as principais bactérias que atuam e vivem em nosso corpo (foto: Heitor Antonio/Encontro Digital)


"A cada dia que passa, a gente descobre mais benefícios dessa relação. Então, essa ideia de que micro-organismos causam doenças e são prejudiciais, não é verdadeira. Descobrimos, ao longo do tempo, uma série de benefícios. É uma relação de simbiose e mutualismo que beneficia tanto o humano quanto os micro-organismos. Manter esse equilíbrio é fundamental", explica a microbiologista Juliana Campos Resende, professora da PUC Minas.

O papel das bactérias que compõem nosso corpo vai desde a proteção contra patógenos externos e estimulação do sistema de defesa do corpo, até a contribuição nutricional – com produção de vitaminas e enzimas digestivas. No entanto, o equilíbrio citado pela especialista é fundamental para a boa relação com os micro-organismos. "Se você está com uma infecção na garganta, por exemplo, e toma um antibiótico, ele não vai agir somente na garganta. Ele vai atuar em outras regiões do corpo, e, às vezes, vai eliminar parte dos micro-organismos benéficos, provocando um desequilíbrio", exemplifica Juliana. A inflamação do trato digestivo e a diarreia são alguns exemplos dessa oscilação.

Últimas notícias

Comentários